Segunda-feira, 30 de Novembro de 2009

Setúbal:O rio é mesmo azul!

O sado em Setúbal

Setúbal, o Sado e a Arrábida ao Fundo

Setúbal o Sado e a Serra

Setúbal, o Sado e Troia ao fundo

Rio Sado, a boia 

O Rio Sado, a cidade, a serra e Troia.... Setúbal é a cidade do rio azul.

 

Abril de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 17:14
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|

Gotas de chuva

Tulipas e margaridas

 

Gotas de Chuva

 

Ontem o dia foi pintado de  cinzento sem brilho

A chuva persistente molhou-me os pés e o olhar.

Água fonte da vida pura e cristalina enchendo o espaço

Tão diferente daquela feita de lágrimas salgadas,

Sentidas, soluçadas que nascem em meus olhos.

Na palma da mão em concha colhi algumas gotas,

Misturei-lhes as minhas lágrimas e atirei-as ao vento

Pedi-lhe que as deixasse algures entre o céu e a terra

E o vento levou-as. Soprando espalhou-as no ar.

Algumas caíram no mar aumentando suas águas

Outras caíram na terra e delas nascerá uma papoila

Um dia, no caminhar do tempo, quando a Primavera chegar.

 

 

Mafalda, 26 de Novembro de 2009 

 

Retirado do Blog De mim para mim, o que sinto

 

Jorge Soares

 

Apr 19, 2009, Câmara: SONY DSLR-A350, ISO: 200, Exposição: 1/640 seg., Abertura: 9.0, Extensão focal: 85mm

 


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Domingo, 29 de Novembro de 2009

Rosas do Outono II

Rosas do Outono

Rosas do Outono

Rosas do Outono

Rosa do Outono

Pétala 

As rosas do Quintal da minha mãe

Alviães,Palmaz, Oliveira de Azemeis, Aveiro

Outubro de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 19:27
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Sábado, 28 de Novembro de 2009

Setúbal:Ainda o Jardim da Beira Mar

Jardim da Beira mar, setúbal

Jardim da Beira mar, Setúbal, banco

Jardim da Beira mar, Setúbal

Jardm da beira mar, setúbal

Jardim da Beira mar, Setúbal Jardim da Beira Mar, Setúbal

Julho de 2009

Jorg Soares


publicado por Jorge Soares às 13:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 27 de Novembro de 2009

Tons do Outono:Púrpura

Tons do Outono, Lilás

Tons do Outono, Lilás, bagas

Bagas do Outono, Lilás

Bagas do Outono, Lilás

 

Ainda os tons do Outono, bagas púrpura.

Alviães, Palmaz, Oliveira de Azemeis, Aveiro

Outubro de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 17:21
link do post | comentar | favorito
|

Coisas, pequenas coisas!

Fazer das pequenas coisas um poema

 

Fazer das coisas fracas um poema. 

Uma árvore está quieta, 
murcha, desprezada. 
Mas se o poeta a levanta pelos cabelos 
e lhe sopra os dedos, 
ela volta a empertigar-se, renovada. 
E tu, que não sabias o segredo, 
perdes a vaidade. 
Fora de ti há o mundo 
e nele há tudo 
que em ti não cabe. 

Homem, até o barro tem poesia! 
Olha as coisas com humildade. 

Fernando Namora, in "Mar de Sargaços" 

 

A vida é feita de quê senão de pequenas coisas?

 

Jorge Soares

 

Oct 11, 2009, Câmara: SONY , Modelo: DSLR-A350, ISO: 100, Exposição: 1/1000 seg., Abertura: 5.6, Extensão focal: 200mm


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 26 de Novembro de 2009

Tons do Outono:Vermelho

Tons do Outono, Vermelho

Outono

Outono, folha vermelha

Folha

 

Tons vermelhos do Outono.

 

Sintra, Outubro de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 20:16
link do post | comentar | favorito
|

Eu me ausento de ti ....

Setúbal

 

Eu me ausento de ti, meu pátrio Sado, 
Mansa corrente deleitos, amena, 
Em cuja praia o nome de Filena 
Mil vezes tenho escrito, e mil beijado: 

Nunca mais me verás entre o meu gado 
Soprando a namorada e branda avena, 
A cujo som descias mais serena, 
Mais vagarosa para o mar salgado: 

Devo enfim manejar por lei da sorte 
Cajados não, mortíferos alfanges 
Nos campos do colérico Mavorte; 

E talvez entre impávidas falanges 
Testemunhas farei da minha morte 
Remotas margens, que humedece o Ganjes. 

Bocage, in 'Rimas' 

 

Setúbal, MArço de 2009

 

Jorge Soares

Mar 22, 2009, Câmara: SONY DSLR-A350, ISO: 200, Exposição: 1/15 seg., Abertura: 11.0, Extensão focal: 150mm


publicado por Jorge Soares às 08:52
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 25 de Novembro de 2009

Tons do Outono

Outono, bagas

Bagas do Outono

Bagas do Outono

Outono em Setubal

Cores do Outono

 

Gosto destes tons de Outono.

 

Setúbal, Outubro de 2009

Jorge Soares 


publicado por Jorge Soares às 20:21
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Gritos mudos...

Rosa

 

Hoje é o dia internacional para a erradicação da violência doméstica, o ano passado morreram no nosso país 42 mulheres vitimas de violência doméstica, quase uma  por semana, este ano e até agora, morreram mais de 30 mulheres vitimas de violência doméstica, de quantas ouvimos falar?, basta que alguém morra vitima de um assalto para  ouvirmos falar do assunto durante semanas, porque não ouvimos falar destas mulheres que morrem às mãos das pessoas com quem decidiram partilhar a sua vida? porque é que a nossa sociedade que discute atá à exaustão temas como o do casamento homossexual, simplesmente decide olhar para o lado nestes casos?

 

O Crime de violência doméstica é considerado um crime público, qualquer pessoa pode fazer a denuncia quando suspeita  da existência de violência familiar, não olhe para o lado, não espere que seja tarde, denuncie!!!!!!! 

 

Gritos mudos

 

 

Neons vazios num excesso de consumo

Derramam cores pelas pedras do passeio

A cidade passa por nós adormecida

Esgotam-se as drogas p'ra sarar a grande ferida

 

Gritos mudos chamando a atenção

P'ra vida que se joga sem nenhuma razão

 

E o coração aperta-se e o estômago sobe à boca

Aquecem-nos os ouvidos com uma canção rouca

E o perigo é grande e a tensão enorme

Afinam-se os nervos até que tudo acorde

 

Gritos mudos chamando a atenção

P'ra vida que se joga sem nenhuma razão

 

E a noite avança, e esgotam-se as forças

Secam como o vinho que enchia as taças

E pára-se o carro num baldio qualquer

E juntam-se as bocas até morrer

 

Gritos mudos chamando a atenção

P'ra vida que se joga com toda a razão

 

Xutos e pontapés

 

 

 

 

Jorge Soares

 

 

 


publicado por Jorge Soares às 08:01
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Terça-feira, 24 de Novembro de 2009

Setúbal:Ainda o jardim da Beira Mar

Setubal, a antiga estação dos barcos para Troia

Setúbal, Jardim da Beira Mar

Setúbal, Jardim da Beira Mar, antiga estação dos barcos para Troia

Setúbal, Jardim da Beira Mar

Setúbal, antiga estação dos barcos 

Já foi a estação dos barcos para Troia, agora é só um belo e velho edificio no jardim. Pena os grafitis.

 

Setúbal, Jardim da Beira mar

Julho de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 17:11
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Ao desconcerto do Mundo

Torre de vigia, Castelo do queijo, Porto 

Ao desconcerto do Mundo


Os bons vi sempre passar
No Mundo graves tormentos;
E pera mais me espantar,
Os maus vi sempre nadar
Em mar de contentamentos.
Cuidando alcançar assim
O bem tão mal ordenado,
Fui mau, mas fui castigado.
Assim que, só para mim,
Anda o Mundo concertado.

Luís de Camões

Castelo do queijo
Porto, Agosto de 2009

Jorge Soares
Aug 3, 2009, Câmara: SONY DSLR-A350, ISO: 100, Exposição: 1/125 seg., Abertura: 13.0, Extensão focal: 30mm

 


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Segunda-feira, 23 de Novembro de 2009

Setúbal: A árvore do Jardim da Beira Mar

 Jardim da Beira mar, a árvore

Jardim da Beira mar, a árvore

 

A árvore, Setúbal

 

A àrvore

 

A àrvore

 

A àrvore, jardim da beira mar, Setúbal

 

Setúbal, Julho de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 15:36
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|

A esperança que pouco alcança!

Esperança 

O Andaime

 

O tempo que eu hei sonhado 
Quantos anos foi de vida! 
Ah, quanto do meu passado 
Foi só a vida mentida 
De um futuro imaginado! 

Aqui à beira do rio 
Sossego sem ter razão. 
Este seu correr vazio 
Figura, anônimo e frio, 
A vida vivida em vão. 

A ‘sp’rança que pouco alcança! 
Que desejo vale o ensejo? 
E uma bola de criança 
Sobre mais que minha ‘s’prança, 
Rola mais que o meu desejo. 

Ondas do rio, tão leves 
Que não sois ondas sequer, 
Horas, dias, anos, breves 
Passam — verduras ou neves 
Que o mesmo sol faz morrer. 

Gastei tudo que não tinha. 
Sou mais velho do que sou. 
A ilusão, que me mantinha, 
Só no palco era rainha: 
Despiu-se, e o reino acabou. 

Leve som das águas lentas, 
Gulosas da margem ida, 
Que lembranças sonolentas 
De esperanças nevoentas! 
Que sonhos o sonho e a vida! 

Que fiz de mim? Encontrei-me 
Quando estava já perdido. 
Impaciente deixei-me 
Como a um louco que teime 
No que lhe foi desmentido. 

Som morto das águas mansas 
Que correm por ter que ser, 
Leva não só lembranças — 
Mortas, porque hão de morrer. 

Sou já o morto futuro. 
Só um sonho me liga a mim — 
O sonho atrasado e obscuro 
Do que eu devera ser — muro 
Do meu deserto jardim. 

Ondas passadas, levai-me 
Para o alvido do mar! 
Ao que não serei legai-me, 
Que cerquei com um andaime 
A casa por fabricar. 

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

 

Troia, Setúbal

Junho de 2009

Jorge Soares

 

Jun 14, 2009, Câmara: SONY DSLR-A350, ISO: 100, Exposição: 1/800 seg., Abertura: 5.6, Extensão focal: 200mm


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 22 de Novembro de 2009

Setúbal, Jardim da Beira Mar II

Jardaim da Beira MAr, Setúbal

Jardim da Beira Mar, Setúbal

Jardim da Beira Mar, Setúbal

Jardim da Beira Mar; Setúbal

Jardim da Beira Mar, Setúbal 

 

Fim de tarde junto ao Rio Sado no Jardim da Beira Mar

Setúbal, Julho de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 19:09
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 21 de Novembro de 2009

Setúbal, Jardim da Beira Mar

Setúbal, Jardim da beira mar

Setúbal, Jardim da beira mar

Jardim da beira mar

Jardim da beira mar, Setúbal

Jardim da beira mar, Setúbal

 

Fim de tarde no Jardim da Beira Mar, Setúbal

Julho de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 17:29
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Sexta-feira, 20 de Novembro de 2009

Orquídeas amarelas

Orquideas amarelas

Orquideas amarelas

Orquideas amarelas

Orquideas ao orvalho

Orquideas amarelas 

 

Manhã cedo, quando o sol ainda não levou o orvalho da noite fresca.

 

Alviães, Palmaz, Oliveira de Azemeis, Aveiro

Outubro de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 17:57
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Quando estou só reconheço que existo entre outros que são como eu sós

Solidão 

 

 

Quando estou só reconheço

Se por momentos me esqueço

Que existo entre outros que são

Como eu sós, salvo que estão

Alheados desde o começo.

 

E se sinto quanto estou

Verdadeiramente só,

Sinto-me livre mas triste.

Vou livre para onde vou,

Mas onde vou nada existe.

 

Creio contudo que a vida

Devidamente entendida

É toda assim, toda assim.

Por isso passo por mim

Como por coisa esquecida.

 

9-8-1931

 

Fernando Pessoa

 
Praia do Bico das Lulas, Troia, Setúbal
Novembro de 2008
Jorge Soares
 
Nov 23, 2008, Câmara: SONY , Modelo: DSLR-A350, ISO: 100, Exposição: 1/400 seg., Abertura: 8.0, Extensão focal: 200mm

 


publicado por Jorge Soares às 08:50
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 19 de Novembro de 2009

Cores ......

Cores:Branco

Cores:Encarnado flor

Cores laranja

Cores das flores laranja

Cores:Rosa

Cores das flores:Laranja 

... das flores

 

Gosto destas flores, são pequeninas e delicadas, mas conseguem ter uma enorme paleta de cores diferentes. 

 

Setúbal, Outubro de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 18:01
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Azul Profundo

De azul profundo! 

Em frente ao prédio há uma rotunda, bom, uma pequena rotunda, tem no máximo 2 metros de raio, no centro está o arbusto que dá estas flores, não sei porquê, mas tem flores o ano inteiro, e cada vez que lá passo e levo a máquina na mão, não resisto, devo ter umas dezenas largas destas florezinhas... que basicamente são todas iguais, varia um pouco o tom do azul, estão sozinhas como esta, aos pares ou em cachos, mas são sempre assim... mas eu não resisto mesmo..

 

Gosto especialmente do ponto amarelo no centro e daquela parte castanha bem no centro do amarelo,  .... o contraste entre o azul profundo e o amarelo é fantástico.

 

A vantagem de lá passar muitas vezes é que vou aperfeiçoando a técnica, passei do automático para o modo macro e finalmente para o manual, a minha máquina com a lente de 200 no máximo, dá uma abertura de 5.3, utilizando o modo o manual com a abertura 6.3, consigo ter focado ao mesmo tempo o centro e a parte exterior da pequena flor, é claro que fica menos esbatido por trás, coisa que podia resolver com um qualquer software... coisa que não faço.

 

Nenhuma das minhas fotografias passou pelo Fotoshop ou por qualquer um dos seus concorrentes, o que vêem aqui e tirando pequenos acertos que faço com o picasa, é o que a máquina viu...

 

Jorge Soares

Setúbal, Outubro de 2009


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 18 de Novembro de 2009

A borboleta e a flor azul

 A traça

Borboleta

Borboleta

Borboleta

 

Eu acho que é uma traça, mas as traças são das famílias das borboletas não são?

 

Setúbal, Outubro de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 19:40
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

O Pisco II

O pisco

 

 Há metafísica bastante em não pensar em nada.

O que penso eu do Mundo?

Sei lá o que penso do Mundo!

Se eu adoecesse pensaria nisso.

 

 

 

Que ideia tenho eu das coisas?

Que opinião tenho sobre as causas e os efeitos?

Que tenho eu meditado sobre Deus e a alma

E sobre a criação do Mundo?

Não sei. Para mim pensar nisso é fechar os olhos

E não pensar. É correr as cortinas

Da minha janela (mas ela não tem cortinas).

 

 

 

O mistério das coisas? Sei lá o que é mistério!

O único mistério é haver quem pense no mistério.

Quem está ao sol e fecha os olhos,

Começa a não saber o que é o Sol

E a pensar muitas coisas cheias de calor.

Mas abre os olhos e vê o Sol,

E já não pode pensar em nada,

Porque a luz do Sol vale mais que os pensamentos

De todos os filósofos e de todos os poetas.

A luz do Sol não sabe o que faz

E por isso não erra e é comum e boa.

 

 

Alberto Caeiro in O Guardadador de rebanhos

 

Gosto dos piscos, para além de um trinar melodioso, tem umas cores fantásticas e fotogénicas, passei muito tempo à espera que este decidisse aparecer em público.... lindo!

 

Alviães, Palmaz, Oliveira de Azemeis, Aveiro

Outubro de 2009

 

Jorge Soares

 

Oct 11, 2009, Câmara: SONY DSLR-A350, ISO: 100, Exposição: 1/1000 seg., Abertura: 5.6, Extensão focal: 200mm


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Terça-feira, 17 de Novembro de 2009

Sympetrum fonscolombei ..... acá, Libelinha vermelha

Libelinha vermelha, Sympetrum fonscolombei

Sympetrum fonscolombei, Libelinha vermelha

Libelinha Vermelha

Libelinha vermelha

Libelinha vermelha

 

Eu tenho umas dezenas de fotografias de estes bichinhos, que alguém me segredou no Olhares, se chamam  Sympetrum fonscolombei ...... eu prefiro libelinhas vermelhas, são uns bichinhos giros não são?.... mesmo com as dificuldades de focagem.

 

Setúbal, Outubro de 2009

Jorge Soares

 


publicado por Jorge Soares às 18:46
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

O mensageiro

Cartas 

Fim de tarde em Sintra

Outubro de 2009

Jorge Soares

 

Oct 16, 2009, Câmara: SONY , Modelo: DSLR-A350, ISO: 100, Exposição: 1/125 seg., Abertura: 6.3, Extensão focal: 55mm


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Segunda-feira, 16 de Novembro de 2009

Almirante Vermelho

Borboleta, almirante vermelho, vanessa atalanta

Borboleta, almirante vermelho, vanessa atalanta

Borboleta, almirante vermelho, vanessa atalanta em Setúbal

Borboleta, almirante vermelho, vanessa atalanta

Borboleta, almirante vermelho, vanessa atalanta

 

Ou  Vanessa atalanta,  é uma borboleta da família Nymphalidae encontrada em regiões temperadas da Europa, Ásia e América do Norte.  

 

Esta vez fiz eu mesmo o trabalho de casa 

 

Num dos meus passeios aqui pelo bairro, num dos últimos dias com sol, esta estava pousada sobre uma roseira seca, pena que por trás tinha uma parede de duas cores, uma parte clara e uma escura. Quando tentei mudar o angulo, ela voou para longe. É um bichinho bonito.

 

Setúbal, Outubro de 2009

Jorge Soares

sinto-me:

publicado por Jorge Soares às 16:24
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

Rosa do Outono

 Botão de rosa

 

Renova-te.

Renasce em ti mesmo.

Multiplica os teus olhos, para verem mais.

Multiplica-se os teus braços para semeares tudo.

Destrói os olhos que tiverem visto.

Cria outros, para as visões novas.

Destrói os braços que tiverem semeado, 

Para se esquecerem de colher.

Sê sempre o mesmo.

Sempre outro. Mas sempre alto.

Sempre longe.

E dentro de tudo.

 
Cecília Meireles
 
Ainda as rosas da minha mãe
Alviães, Palmaz, Oliveira de Azemeis, Aveiro
Outubro de 2009
 
Oct 11, 2009, Câmara: SONY DSLR-A350, ISO: 100, Exposição: 1/640 seg., Abertura: 5.6, Extensão focal: 200mm


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 15 de Novembro de 2009

Oliveira de Azeméis

Câmara Municipal de Oliveira de Azemeis

Câmara municipal de Oliveira de Azemeis

Oliveira de Azemeis

Oliveira de Azemeis, Estatua a Ferreira de Castro 

 

Largo em frente à Câmara Municipal de Oliveira de Azemeis

Outubro de 2009


publicado por Jorge Soares às 12:51
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 14 de Novembro de 2009

Esta é uma abelha!

 

Acho eu! 

 

Em Setúbal até no inverno há flores, vai fazer um ano, no parque Urbano de Albarquel num dia de aguaceiros!

 

Setúbal, Dezembro de 2008

 

Jorge Soares

 

Maquina SONY, DSLR-A350, Exposição 1/640, Abertura 56/10, ISO 100, MeteringMode 5, Flash 24, Dist.Focal 2000/10

 

 


publicado por Jorge Soares às 18:16
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 13 de Novembro de 2009

O passeio do Sirfídeo pelas flores de Hera

O sirfideo e as flores da Hera

O sirfídeo e a flor da Hera

Flor de Hera e um Eristalis tenax

O sirfideo e a flor de Hera

Os sirfídeos e a flor de hera 

Eu disse que a Alexandrina vinha e explicava , quem sabe sabe!

 

É um Sirfídeo, mas precisamente um Eristalis tenax, e é uma mosca.

 

Alviães, Oliveira de Azemeis, Aveiro

Outubro de 2009

sinto-me:

publicado por Jorge Soares às 19:11
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Minha alma sabe-me a antiga

MInha alma sabe-me a antiga 

 

Minha alma sabe-me a antiga  

Mas sou de minha lembrança,  

Como um eco, uma cantiga. 

Bem sei que isto não é nada,  

Mas quem dera a alma que seja  

O que isto é, como uma estrada. 

 

Talvez eu fosse feliz  

Se houvesse em mim o perdão  

Do que isto quase que diz.

 

Porque o esforço é vil e vão,  

A verdade, quem a quis?  

Escuta só meu coração. 

 

Fernando Pessoa

 

O ano passado estava engessado no Outono, este ano estou com o tornozelo agrafado e a coisa não está a correr lá muito bem, esta fotografia foi em Janeiro, num dos meus passeios pelo sopé da Arrábida. No inverno as tardes são curtas e não dão para muito, a meio da tarde já o sol se queria esconder por trás da ruina do velho casarão... tenho saudades da serra e do campo, tenho saudades de andar, saudades.....

 

Setúbal, Janeiro de 2009

Jorge Soares

 

Jan 11, 2009, Câmara: SONY , Modelo: DSLR-A350, ISO: 100, Exposição: 1/200 seg., Abertura: 10.0, Extensão focal: 18mm

 


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Related Posts with Thumbnails

Direitos de Autor
Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

 

.pesquisar

 

Também estou aqui: 

Olhares

Picasa Jorge Freitas Soares

Picasa Momentos e olhares



First Class Radio 

.mais sobre mim

.arquivos

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.links

.Quem cá vem



.mais comentados

blogs SAPO

.subscrever feeds