Domingo, 31 de Janeiro de 2010

Dois anos de blog:Picos de Europa, Astúrias

Asturias

Ribadesella, Astúrias

Ribadesella, Picos de Europa, Astúrias

El Naranco de Bulnes, Picos de Europa, Astúrias

Picos de Europa, Astúrias 

Picos de Europa, Astúrias, Espanha, Agosto de 2007

 

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 10:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 30 de Janeiro de 2010

Dois anos de blog:Segóvia

Segóvia

Segóvia

Segóvia

Segovia

Segóvia

 

Segóvia, Espanha

Agosto de 2007 


publicado por Jorge Soares às 16:19
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Dois anos de blog:El Escorial

El escorial

El Escorial

El escorial

 

El Escorial, Madrid, Espanha

Agosto de 2007

Jorge Soares

 


publicado por Jorge Soares às 10:00
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 29 de Janeiro de 2010

Dois anos de blog:Hong Kong

Hong Kong

Hong Kong

Hong Kong

Hong Kong

Hong Kong 

Hong Kong, Abril de 2007

 

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 17:03
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2010

Dois anos de blog:Macau

Riquexós frente ao hotel Lisboa, Macau

Macau

Macau

Macau, Largo do carmo

Macau, vista dede a Taipa

Ruinas 

Macau

Abril de 2007

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 17:00
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Quarta-feira, 27 de Janeiro de 2010

Dois anos de Blog, muitos olhares, alguns momentos

Fim de tarde na Taipa, Macau 

Este Blog faz dois anos no próximo Domingo, tudo começou com esta fotografia que foi tirada longe, muito longe mesmo, num dia em que como sempre, voltava a pé do trabalho para o Hotel e aproveitava para ir descobrindo cada dia novos lugares, novos recantos.

 

Nestes dois últimos anos e muito graças à existência do blog e à vossa presença, o bichinho da fotografia que nem sabia que estava ali escondido dentro de mim, foi crescendo e tomando  conta de mim. Com ele veio a vontade de aprender, primeiro olhando para o que fazem os outros, e aprendemos com cada fotografia que vemos, depois com os nossos erros, eu aprendo um pouco mais com cada fotografia que tiro  e é claro, o curso de fotografia ajudou muito, principalmente a conhecer e a explorar funções da máquina que nem sabia que existiam.

 

Durante os últimos dois anos tirei mais de 12000 fotografias, uma parte delas foi aqui partilhada com o mundo; momentos, lugares, pessoas, detalhes, recantos... de tudo um pouco tem aqui cabido.. e assim seguirá, que cada vez gosto mais de partilhar.

 

Durante as próximas duas semanas vai haver uma mudança grande na minha vida, estarei inclusivamente longe da internet durante uns dias.... mas terei a maquina comigo e de certeza que haverá muito para mostrar quando eu voltar... entretanto o blog entrará em modo automático, vou tentar deixar preparados posts para cada dia, cada um com um lugar que visitei e que aqui mostrei.... será um recordar de olhares e um revisitar de lugares.

 

Obrigado a todas as pessoas que por aqui tem passado nos últimos dois anos, obrigado por todos os comentários, este blog só existe porque há pessoas que aqui passam, já seja por puro acaso ou regularmente.

 

Taipa, Macau, Abril de 2007

 

Jorge soares


publicado por Jorge Soares às 10:50
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|

A barca dos amantes

Barco no rio Sado

 

Ah, quanto eu queria navegar 

p´ra sempre a barca dos amantes 

onde o que eu sei deixei de ser 

onde ao que eu vou não ia dantes

 

Ah, quanto eu queria conseguir 

trazer a barca à madrugada 

e desfraldar o pano branco 

na que for terra, mais amada

 

E que em toda a parte 

o teu corpo 

seja o meu porta-estandarte 

plantado no seu mais fundo 

posso agitar-me no vento 

e mostrar a cor ao mundo

 

Ah, quanto eu queria navegar 

p´ra sempre a barca dos amantes 

onde o que eu vi me fez vogar 

de rumos meus a cais errantes

 

Ah, quanto eu queria me espraiar 

fazer a trança à calmaria 

avistar terra, e não saber 

se ainda o é, quando for dia

 

E que em toda a parte 

o teu corpo 

seja o meu porta-estandarte 

plantado no seu mais fundo 

posso agitar-me no vento 

e mostrar a cor ao mundo

 

Sérgio Godinho

 

Cais palafitico da Carrasqueira, 

Grandola, Setúbal

Junho de 2008

 

29 de Jun de 2008 Câmara: OLYMPUS FE-140,X-725, ISO: 80, Exposição: 1/200 seg., Abertura: 5.5, Extensão focal: 16.3mm, Flash utilizado: Não

 


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 26 de Janeiro de 2010

Menina estás à janela ....

Gato à janela

Gato à Janela

Gato à janela

Gato à Janela

Gato à janela

 

Na  verdade parece mais um menino.... e como é de uma só cor.... mas dava jeito que fosse uma menina... para o titulo ....

 

Este bichinho estava à janela num fim de uma tarde muito fria no Luso.... um gatinho lindo.

 

Luso, Dezembro de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 21:19
link do post | comentar | favorito
|

Barco negro

Gaivota nos destroços


 

De manhã, que medo, que me achasses feia!

Acordei, tremendo, deitada n'areia

Mas logo os teus olhos disseram que não,

E o sol penetrou no meu coração.

 

Vi depois, numa rocha, uma cruz,

E o teu barco negro dançava na luz

Vi teu braço acenando, entre as velas já soltas

Dizem as velhas da praia, que não voltas:

 

São loucas! São loucas!

 

Eu sei, meu amor,

Que nem chegaste a partir,

Pois tudo, em meu redor,

Me diz qu'estás sempre comigo.

 

No vento que lança areia nos vidros;

Na água que canta, no fogo mortiço;

No calor do leito, nos bancos vazios;

Dentro do meu peito, estás sempre comigo.

 

David Mourão Ferreira

 

Atalaia, Seixal

Setembro de 2009

Jorge Soares

 

6 de Set de 2009, Câmara: SONY, DSLR-A350,ISO: 100,Exposição: 1/500 seg.,Abertura: 5.6,Extensão focal: 200mm


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2010

Um cheirinho a Primavera 2

Lilás

Flores lilás

Flores lilás em Albarquel

Flores lilás

Flores lilás em Janeiro

 

 

Gosto do lilás suave destas flores.

 

Parque urbano de Albarquel, Setúbal

Janeiro de 2010

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 18:47
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Química

 

Qúimica..a flor e a borboleta

 

 

Sublimemos, amor. Assim as flores 

No jardim não morreram se o perfume 

No cristal da essência se defende. 

Passemos nós as provas, os ardores: 

Não caldeiam instintos sem o lume 

Nem o secreto aroma que rescende. 

 

José Saramago, in "Os Poemas Possíveis"

 

Setúbal, Novembro de 2009

 

Jorge Soares

 

Máquina SONY DSLR-A350, Exposição 1/400, Abertura f/5.6, ISO 100, Flash Não, Dist.Focal 200 mm


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 24 de Janeiro de 2010

Um cheirinho a Primavera

Flor de pessegueiro em Albarquel

Flor de pessegueiro

Flores de pessegueiro, Albarquel

Flor de pessegueiro

Flor de pessegueiro 

 

Ontem finalmente o tempo acalmou por estes lados, não estava um sol radiante, mas não chovia nem prometia chuva, tiramos as bicicletas e fomos os 4 até ao parque urbano de Albarquel, numa das encostas estava um pessegueiro carregado de flores.... a cheirar a Primavera,

 

Parque Urbano de Albarquel, Setúbal

 

Janeiro de 2010

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 17:46
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Sábado, 23 de Janeiro de 2010

Palácio do Buçaco:Jardim 2

Buçaco, Jardins do Palácio

Jardin dos Palácio do Buçaco

Jardins do Plácio do Buçaco

Jardim do palácio do Buçaco no inverno

 

Jardins do palácio do Buçaco num dia de inverno. Não gostei da primeira fotografia e decidi inventar..... não melhorou nada mas dá um ar de outros tempos...  como o jardim.

 

Luso, Mealhada, Dezembro de 2009

 

Jorge Soares

 


publicado por Jorge Soares às 18:17
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 22 de Janeiro de 2010

Palácio do Buçaco:Jardim

Palacio do Bussaco, Jardins

Jardin do Palacio do Bussaco

Jardim do Palacio do Bussaco

Jardim do palacio do Buçaco

Jardim e Palacio do BuçacoJardim do Palácio do Buçaco num dia de inverno

 

Dezembro de 2009

 

Jorge Soares

 

 


publicado por Jorge Soares às 16:35
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Quinta-feira, 21 de Janeiro de 2010

Gato que brincas na rua

Gato

 

Gato que brincas na rua

Como se fosse na cama,

Invejo a sorte que é tua

Porque nem sorte se chama.

 

Bom servo das leis fatais

Que regem pedras e gentes,

Que tens instintos gerais

E sentes só o que sentes.

 

És feliz porque és assim,

Todo o nada que és é teu

Eu vejo-me e estou sem mim,

Conheço-me e não sou eu.

 

                         Janeiro de 1931

 

Fernando Pessoa

 

Setúbal Abril de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|
Quarta-feira, 20 de Janeiro de 2010

Eu tenho saudades ....

Flores da primavera

Flor de macieira

Lirios, saudade da Primavera

Rosas

Joaninha avoa avoa

 

... da Primavera e das suas cores..... do quintal da minha mãe e do maná de vida e cor que por lá se instala..... falta pouco.

 

Alviães, Palmaz, Oliveira de Azeméis

Abril de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 18:17
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Ter [na ausência das marés]

Bruno mar, no sado

 

Tenho frio. Tendo um copo de vinho que se esvazia na gula dos dedos boquiabertos. Tenho sede. Embriago-me na tristeza liquefeita da vinha. Na ira da raiz. Esfrego as mãos nas parras que se despedaçam na terra. Tenho o enjoo encostado a mim. Que me atravessa em pontos determinados. No alvoroço das marés. Remo no silêncio sossegado da baixa-mar. No instante em que o horizonte é lugar no longe. No nada. Na efeméride calada. Tenho olhos de vidro. Escaqueirados no areal. Lá, onde os copos não existem e os vinhos não transportam alegrias de entoar.

 

Vai-te, flutuante casa da memória. A minha ferida segue à bolina na doce espuma do desgosto. Enfeitada com vozes afónicas. Tenho a noite. Que é mais segura sem ti. De dia, sobram-me roncos dos barcos vazios. Esburacados. Rombos nas mãos que ainda tenho. Na sede da água que se foi com a maré… Outra vez a casa. A casa deles não vem com o mar. Tenho a memória dos pardais que trinavam no telhado. A ver aqueles barcos que já não podem naufragar.

 

Sou barca atracada na quietude do desabrigo. Tenho uma mansa planície de papoilas azuis no sangue. Ardo na língua do Sol. E o barco segue, como se a foz o não tivesse afogado. Como se as amarras detivessem o vendaval. O homem do barco a remos desligou o motor. E as barcas persistem no seu carregar. Não tenho. Mas as gaivotas caçam o equívoco da abundância…

 
Texto da Paola, retirado do blog Ponto de Admiração
 
Barco no rio Sado
Setúbal, Outubro de 2009
Jorge Soares
 
25 de Out de 2009,Câmara: SONY DSLR-A350,ISO: 100,Exposição: 1/250 seg.,Abertura: 13.0,Extensão focal: 60mm


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 19 de Janeiro de 2010

Luso:As cores do inverno

Inverno no Luso

Inverno

Inverno no Luso

Inverno no Luso

Inverno 

As cores do inverno no Luso

Dezembro de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 21:02
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

A cidade é um chão de palavras pisadas

A cidade é um chão de palavras pisadas 

A cidade é um chão de palavras pisadas

 

A cidade é um chão de palavras pisadas

a palavra criança  a palavra segredo.

A cidade é um céu de palavras paradas

a palavra distância  e a palavra medo.

 

A cidade é um saco  um pulmão que respira

pela palavra água  pela palavra brisa

A cidade é um poro  um corpo que transpira

pela palavra sangue  pela palavra ira.

 

A cidade tem praças de palavras abertas

como estátuas mandadas apear.

A cidade tem ruas de palavras desertas

como jardins mandados arrancar.

 

A palavra sarcasmo é uma rosa rubra.

A palavra silêncio é uma rosa chá.

Não há céu de palavras que a cidade não cubra

não há rua de sons que a palavra não corra

à procura da sombra de uma luz que não há.

 

                  José Carlos Ary dos Santos

 

Setúbal, Câmara Municipal, Praça do Bocage

Julho de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Segunda-feira, 18 de Janeiro de 2010

Detalhes do Inverno

Cogumelos no musgo

Detalhes do inverno

Folha de plátano

Detalhes do inverno, folhas de plátano

Folhas secas, Inverno

 

Detalhes do nosso Inverno

 

Luso, Dezembro de 2009 

 

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 19:55
link do post | comentar | favorito
|

Aquela Porta

Aquela porta

 

 “Aquela porta”


O tempo segue, caminhando lento.
Ignorando minha maior verdade
Nessa cruel espera moram as horas
Alheias a dor da imensa saudade
E num turbilhão, as lembranças.
Intensas refletem nos meus versos
Ferem, reavivando os sentidos.
Trazem velhos sonhos já dispersos
Não demora, porque hoje preciso.
Ver a saudade viva no teu olhar
Aninhada, protegida em teu peito.
Quero ouvir outra vez, teu respirar.
Divisando teu olhar, já concluo.
Se tiver o brilho do teu sorriso
Chovendo assim em minha seara
Tenho tudo, e de mais nada preciso.
Quebre as amarras, viole os sentidos.
Reviva o sonho, sem pressa de ir embora.
Quando trancar aquela porta, por favor.
Sem nenhum medo, lance a chave fora.

Glória Salles

 

Ribeira do Porto, Junho de 2008

Jorge Soares

 

28 de Jun de 2008 Câmara: OLYMPUS FE-140,X-725, ISO: 80, Exposição: 1/125 seg., Abertura: 3.7, Extensão focal: 8.4mm


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 17 de Janeiro de 2010

As cores suaves do inverno

Flores de inverno

Rosas no inverno

Rosas de inverno

Rosas de Inverno

Cores do Inverno, Marmelo 

O sol no Inverno tem um brilho envergonhado, dá um tom suave às cores e um encanto diferente, num dos poucos dia de sol no mês de Dezembro, num passeio pelo sopé da serra, por entre as silvas e o mato, podemos encontrar tesouros, a natureza é fantástica.

 

Setúbal, Dezembro de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 16:52
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Sábado, 16 de Janeiro de 2010

Despojos na praia

Concha nas praias da Arrábida

Despojos na praia da Arrábida

Pequenos buzios, arrábida Setúbal

Restos de conchas na areia da praia

Concha de Ouriço de mar

 

Gosto de passear pela praia junto ao mar, sobre a areia molhada das praias da Serra da Arrábida o mar de inverno, por aqui sempre calmo, vai deixando os despojos da vida marinha.

 

Portinho da Arrábida, Setúbal, Dezembro de 2009 

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 22:18
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|
Sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010

Inverno no Luso 2

Inverno no luso

Inverno no Luso

Inverno no Luso

Inverno no Luso

Fim de tarde no Luso

 

 

Luso

Dezembro de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 20:25
link do post | comentar | favorito
|

O poderio da solidão

Solidão

 

Quando é grande o poderio 
da solidão, ao seu lado 
estanca a aura exterior do brilho 
que a fica aí preservando. 
Às vezes, outra se avizinha. O sítio 
da vizinhança contamina o espaço. 
E uma como que luz que antecedesse o espírito 
remove o vácuo, 
de forma a ele se ir constituindo 
espera de verbo. Âmbito 
a iluminar-se recinto 
aonde as solidões, aproximando- 
-se a frequência aumentassem do alto poderio 
e estancassem ao bordo granítico do canto. 
 

Fernando Echevarría, in "Figuras" 

 

Fim de tarde no rio Judeo

Seixal, Outubro de 2008

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 14 de Janeiro de 2010

Inverno no Luso

O inverno no Luso

Inverno no Luso

Inverno no Luso

Inverno no Luso

Inverno no Luso Inverno no Luso

Dezembro de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 21:12
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

À beleza

A beleza

 

Não tens corpo, nem pátria, nem família, 

Não te curvas ao jugo dos tiranos. 

Não tens preço na terra dos humanos, 

Nem o tempo te rói. 

És a essência dos anos, 

O que vem e o que foi. 

 

És a carne dos deuses, 

O sorriso das pedras, 

E a candura do instinto. 

És aquele alimento 

De quem, farto de pão, anda faminto. 

 

És a graça da vida em toda a parte, 

Ou em arte, 

Ou em simples verdade. 

És o cravo vermelho, 

Ou a moça no espelho, 

Que depois de te ver se persuade. 

 

És um verso perfeito 

Que traz consigo a força do que diz. 

És o jeito 

Que tem, antes de mestre, o aprendiz. 

 

És a beleza, enfim. És o teu nome. 

Um milagre, uma luz, uma harmonia, 

Uma linha sem traço... 

Mas sem corpo, sem pátria e sem família, 

Tudo repousa em paz no teu regaço. 

 

Miguel Torga, in 'Odes'

 

Rio Judeu, Seixal

Outubro de 2008


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Quarta-feira, 13 de Janeiro de 2010

A Mata do ..... Buçaco... ou será Bussaco?

Bussaco ou Buçaco? 

Este é um blog de fotografia, o que não quer dizer que eu não tente ter algum cuidado com o meu (pobre e maltratado por mim) português, ontem quando preparava o post com as fotografias da mata assaltou-me a dúvida, será Buçaco ou Bussaco?, fui ao Google, no priberam online nenhuma das duas palavras tem significado e só Buçaco aparece referenciada, dei uma olhadela por alguns sites, foi ao google Maps e lá o que aparece é Buçaco.... decidi acreditar no mapa, até porque encontrei um outro site com um mapa antigo onde está escrito bem grande "Mata do Buçaco".

 

A Andreia passou por cá e ainda que indirectamente deixou-me a deixa, ela até é de por aqueles lados e do comentário dela adivinhei que me tentou corrigir, para ela é Bussaco...e de novo se instalou a dúvida na minha mente.. .Bussaco ou Buçaco.... e lá voltei ao google... para ficar na mesma, há quem diga que ambas as designações são válidas, sendo que Buçaco é a designação antiga e Bussaco é a moderna..... Curiosamente o corrector do Chrome dá erro em Bussaco.. o do SAPO também, mas parece que quem vive por lá acha que é Bussaco....... estou baralhado... alguém me esclarece?.. é que eu tenho fotografias para mais 4 ou 5 posts.....

 

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 16:57
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|

Realidade

Lisboa, São Bento

Realidade

 

Sim, passava aqui frequentemente há vinte anos... 

Nada está mudado - ou, pelo menos, não dou por isto - 

Nesta localidade da cidade ...

Há vinte anos!... 

O que eu era então!  Ora, era outro... 

Há vinte anos, e as casas não sabem de nada...

 

Vinte anos inúteis (e sei lá se o foram! 

Sei eu o que é útil ou inútil?)... 

Vinte anos perdidos (mas o que seria ganhá-los?)

 

Tento reconstruir na minha imaginação 

Quem eu era e como era quando por aqui passava 

Há vinte anos... 

Não me lembro, não me posso lembrar.

 

O outro que aqui passava, então,  

Se existisse hoje, talvez se lembrasse... 

Há tanta personagem de romance que conheço melhor por dentro 

De que esse eu-mesmo que há vinte anos passava por aqui!

 

Sim, o mistério do tempo. 

Sim, o não se saber nada,  

Sim, o termos todos nascido a bordo 

Sim, sim, tudo isso, ou outra forma de o dizer...

 

Daquela janela do segundo andar, ainda idêntica a si mesma, 

Debruçava-se então uma rapariga mais velha que eu, mais 

lembradamente de azul.

 

Hoje, se calhar, está o quê? 

Podemos imaginar tudo do que nada sabemos. 

Estou parado físisca e moralmente: não quero imaginar nada...

 

Houve um dia em que subi esta rua pensando alegremente no futuro,  

Pois Deus dá licença que o que não existe seja fortemente iluminado,  

Hoje, descendo esta rua, nem no passado penso alegremente. 

Quando muito, nem penso... 

Tenho a impressão que as duas figuras se cruzaram na rua, nem então nem agora,  

Mas aqui mesmo, sem tempo a perturbar o cruzamento.

 

Olhamos indiferentemente um para o outro. 

E eu o antigo lá subi a rua imaginando um futuro girassol,  

E eu o moderno lá desci a rua não imaginando nada.

 

Talvez isso realmente se desse... 

Verdadeiramente se desse... 

Sim, carnalmente se desse...

 

Sim, talvez...

 
Alvaro De Campos
 
Lisboa, Março de 2009
Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 08:00
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Terça-feira, 12 de Janeiro de 2010

Mata nacional do Buçaco 1

Mata nacional do Buçaco

Mata nacional do Buçaco

Mata nacional do Buçaco

Mata nacional do Buçaco

Mata Nacional do Buçaco 

Estava a chover, na verdade, esteve a chover o tempo todo e o que iam ser belos passeios a pé pela mata nacional, converteram-se num passeio de carro com paragens rápidas no intervalo entre entre aguaceiros... para além de  molhado e enlameado, estava verde da cor do musgo e da natureza.

 

Mata Nacional do Buçaco, Luso,

Dezembro de 2009

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 19:08
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|
Related Posts with Thumbnails

Direitos de Autor
Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

 

.pesquisar

 

Também estou aqui: 

Olhares

Picasa Jorge Freitas Soares

Picasa Momentos e olhares



First Class Radio 

.mais sobre mim

.arquivos

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.links

.Quem cá vem



.mais comentados

blogs SAPO

.subscrever feeds