Terça-feira, 31 de Maio de 2011

Gosto de pequenas coisas: Dente de leão

Flor de dente de leão

Flor de dente de leão

Detalhes da Primavera

Dentes de Leão

Dente de Leão

 

Gosto destas pequenas flores, são bonitas e muito fotogénicas.

Setúbal, Maio de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 20:41
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Recados Gráficos: O amor é uma companhia

Há quem coloque pessoa de espectador do amor!

 

O amor é uma companhia.
Já não sei andar só pelos caminhos,
Porque já não posso andar só.
Um pensamento visível faz-me andar mais depressa
E ver menos, e ao mesmo tempo gostar bem de ir vendo tudo,
E eu gosto tanto dela que não sei como a desejar.


Se a não vejo, imagino-a e sou forte como as árvores altas.
Mas se a vejo tremo, não sei o que é feito do que sinto na ausência dela.

Todo eu sou qualquer força que me abandona.
Toda a realidade olha para mim como um girassol com a cara dela no meio.

Alberto Caeiro

 

Os grafittis estão pintados numa coluna de um edificio na avenida 22 de Dezembro em Setúbal, não sei se terão sido pintados na mesma altura e pela mesma pessoa ou se terá sido um aproveitamento da situação.... não tem graça nenhuma, mas fez-me graça ver Pessoa no papel de voyeur do beijo apaixonado.

 

Setúbal, Maio de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Segunda-feira, 30 de Maio de 2011

Pequenas flores

Pequenas flores

Amarelo e branco

Amarelo

Amarelo

Pequenas flores

 

A beleza das pequenas flores... a natureza é linda.. linda.

 

Setúbal, Maio de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 17:22
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|

Nos quintais da minha cidade

Pelos quintais da minha cidade.. uma rosa

Pelos quintais da tua cidade

Habitam flores coradas de saudade
Inspiradas por suor que verte quente
Apresadas de uma paixão ardente
Por ai, pelos quintais da tua cidade.

Alteiam-se na passagem da beldade
As flores, debruçadas no seu vaso
Pelos brincos suspensos ao acaso
Por ai, pelos quintais da tua cidade.

Botões sedutores pejados de pudor
Graciosos acúleos fingidos de amor
Em duelo intermitente de fidelidade.

Flores que suspiram perturbadas
Num ramo de perfume embriagadas
Por ai, pelos quintais da tua cidade

 

Lagoa_Azul 

 

Obrigado.... estava a pensar, não sei como te chamas, mas é agradável saber que as minhas fotografias servem de inspiração para tão belas palavras, obrigado.

 

Pelos quintais da minha cidade ... uma rosa.

Setúbal, Maio de 2011

Jorge Soares

 

 

8 Mai 2011, Câmara: SONY DSLR-A350, ISO:100, Exp.1/250 seg., Abert:4.5 Dist Focal:.140mm

 

 

 


publicado por Jorge Soares às 00:08
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
|
Domingo, 29 de Maio de 2011

Sympetrum fonscolombei ..... acá, Libelinha vermelha II

Libelinha Vermelha

Libelinha vermelha

Libelinha Vermelha

Libelinha Vermelha

 

Uma libelinha vermelha no Jardim da Algodeia

Setúbal, Maio de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 15:28
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|

... tenho em mim todos os sonhos do mundo

A pequena margarida

 

Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

 

Fernando Pessoa in Tabacaria

 

Jardim da Algodeia, Setúbal

Maio de 2011

Jorge Soares

 

 


publicado por Jorge Soares às 12:36
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Sábado, 28 de Maio de 2011

Setúbal: Crepúsculo no Parque Urbano de Albarquel

 

Parque Urbano de Albarquel

Parque Urbano de Albarquel

Parque Urbano de Albarquel

Parque Urbano de albarquel Parque Urbano de Albarquel 

Parque Urbano de Albarquel

 

Crepúsculo no Parque Urbano de Albarquel

Setúbal

Abril de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 10:26
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|
Sexta-feira, 27 de Maio de 2011

A pequena flor

Flores

Uma pequena flor amarela

Detalhes de uma pequena flor

 

Aqui por trás do prédio corre um ribeiro, a maior parte do ano está seco e converte-se num matagal, quando o inverno é chuvoso torna-se quase num rio e já vi a água bem perto das margens. Na Primavera corre sempre alguma água e as margens florescem. Este ano estavam por lá estas pequenas flores que "colhi" no fim de tarde de um dia nublado e ventoso.

 

Setúbal, Maio de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 19:29
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|

..... nada mais simples nem mais belo .....

Flores no Jardim da Algodeia

 

Nunca o homem inventará nada mais simples nem mais belo do que uma manifestação da natureza. Dada a causa, a natureza produz o efeito no modo mais breve em que pode ser produzido.

 

Leonardo da Vinci

 

Uma pequena flor nas margens do lago do Jardim da Algodeia

Setúbal, Maio de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Quinta-feira, 26 de Maio de 2011

Borboleta

Borboleta

Borboleta

Borboleta

 

Num fim de tarde no sopé da Arrábida.

Setúbal, Abril de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 21:23
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Recados Gráficos: O amor é um lugar estranho

O amor é um lugar estranho, amo-te ana

 

"O Amor...

É difícil para os indecisos.
É assustador para os medrosos.
Avassalador para os apaixonados!
Mas, os vencedores no amor são os
fortes.
Os que sabem o que querem e querem o que têm!
Sonhar um sonho a dois,
e nunca desistir da busca de ser feliz,
é para poucos!!"

 

Cecília Meireles

 

 

O Azulejo faz parte da fachada de um velho casarão na Baixa de Setúbal, quem sabe desde quando lá estará? ... a mensagem de amor é mais recente, esperemos que dure menos que o amor de alguém pela Ana.

 

Setúbal, Abril de 2011

Jorge Soares 


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|
Quarta-feira, 25 de Maio de 2011

Rosas laranja

Rosa

Rosa Laranja

Rosa amarela

Rosa laranja

Rosa Amarela

 

Rosas à sombra num quintal de Setúbal

Abril de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 18:20
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|

Cuidado com a fera

Cuidado com a fera

 

Vá lá a gente perceber se ele está ali sentado para proteger ou para se proteger...... 

 

Jardim de Vanicelos, Setúbal

Maio de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:13
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Terça-feira, 24 de Maio de 2011

Por aí pelos quintais da minha cidade

Flor da Paixão, flor de maracujá

Brincos de princesa

Por aí pelos quintais, Rosa

Por aí pelos quintais, Rosas

Por aí pelos quintais

 

Quem diz que nas cidades só há betão, os quintais em Setúbal são muito coloridos.

Setúbal, Abril de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 19:21
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
|

Para poetizar uma flor Sob o efeito de feitiço ....

Para poetizar uma flor

 

Para poetizar uma flor
Sob o efeito de feitiço
Teria de proferir amor
E isso, eu não cobiço.

Para poetizar uma flor
Ante beleza evidente
Teria de expurgar dor
Como insecto demente.

Para poetizar uma flor
De perfume inebriante
Teria de inspirar odor
E magia todo o instante.

Para poetizar uma flor
Eloquente rima boa
Teria nascer trovador
Ou renascer em Pessoa


Lagoa_Azul

 

 

Gosto destas florzinhas azuis, mesmo num dia cinzento e chuvoso, elas tem um encanto especial e uma beleza única.

Odemira

Alentejo

Abril de 2011

Jorge Soares

 

22 de Abr de 2011, Câmara: SONY DSLR-A350, ISO: 100, Exp: 1/500 seg., Abert.: 5.6, Ext.: 200mm, Flash: Não


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Segunda-feira, 23 de Maio de 2011

Recados Gráficos: É como roubar Tróia a uma criança ...

Recados gráficos, roubar Troia a uma criança

 

Este recado será para a Câmara municipal de Setúbal ou para a Sonae e o Tio Belmiro de Azevedo?

 

Largo de Jesus, Setúbal

Maio de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 21:39
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Mar de prata em São Torpes

Mar de Prata em São Torpes

Mar de prata  em São Torpes

Mar de Prata em São Torpes, Sines

Mar de prata em São Torpes, Alentejo

 

Visto desde aqui não parece, mas no céu havia nuvens carregadas e ameaçava chuva grossa, nada que impedisse o desfrute do mar e das ondas.

 

São Torpes, Sines, Alentejo

Abril de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 17:17
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Protecção

Escondido

 

O que é que tu queres ó monstro?....

 

Jardim de Vanicelos, Setúbal,  Maio de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|
Domingo, 22 de Maio de 2011

Detalhes ....

Detalhes da Natureza

Detalhes

Detalhes

Detalhes

Detalhes das flores

 

...  da primavera

Dos meus passeios pelo sopé da Serra da Arrábida

Setúbal, Abril de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 12:02
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Sábado, 21 de Maio de 2011

Nas Margens do Mira em Odemira

Rio Mira em Odemira

Rio Mira em Odemira

Rio Mira em Odemira

Rio Mira em Odemira

 

Nas margens do Rio Mira em Odemira

Abril de 2011

Joirge Soares


publicado por Jorge Soares às 17:16
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Sexta-feira, 20 de Maio de 2011

Sem titulo .....

Sem Titulo

 

 ... e sem legenda.... não precisa mesmo.

 

Jardim de Vanicelos, Setúbal

Maio de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:45
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|
Quinta-feira, 19 de Maio de 2011

Recados Gráficos: E que tal utilizarem o facebook?

Recados gráficos, a isto chama-se sujar a parede, não fazer politica

 

Imagem de uma parede de um prédio em Setúbal.

 

Senhores da CDU e da juventude comunista, será que não podiam utilizar o Facebook, as redes sociais, mails, internet?.. era mesmo necessário vandalizar a parede?

 

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 22:59
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Cegonhas nas escarpas do Cabo Sardão

Cegonhas nas escarpas de Cabo Sardão

Cegonha no Cabo Sardão

Cegonha no Cabo Sardão

Cegonha no Cabo Sardão

Cegonha na escarpa no Cabo Sardão

 

Cegonhas nas escarpas do Cabo Sardão.

Odemira, Alentejo

Abril de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 19:02
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Palavras que disseste e já não dizes,

Flores

 

Palavras que disseste e já não dizes,
palavras como um sol que me queimava,
olhos loucos de um vento que soprava
em olhos que eram meus, e mais felizes.
Palavras que disseste e que diziam
segredos que eram lentas madrugadas,
promessas imperfeitas, murmuradas
enquanto os nossos beijos permitiam.
Palavras que dizias, sem sentido,
sem as quereres, mas só porque eram elas
que traziam a calma das estrelas
à noite que assomava ao meu ouvido...
Palavras que não dizes, nem são tuas,
que morreram, que em ti já não existem
- que são minhas, só minhas, pois persistem
na memória que arrasto pelas ruas.
Pedro Tamen
Jardim da Fonte Férrea
Odemira, Alentejo
Abril de 2011
Jorge Soares

publicado por Jorge Soares às 00:07
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Quarta-feira, 18 de Maio de 2011

O jogo do Pião

Aula de Pião

Aula de lançamento de pião

Aula de lançamento de pião

Aula de lançamento de pião

Aula de lançamento de pião

 

Há quem teime em não deixar morrer as tradições, este senhor estava a li a mostrar como se faz, não me pareceu que fossem muitos os interessados,.... mas há sempre alguém.

 

O jogo do pião

Vila Nova de Milfontes, Odemira

Abril de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 18:44
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Eu tenho um pião

O pião

 

Lembro-me que demorei imenso tempo até que o consegui fazer girar pela primeira vez, era um tempo em que os piões eram feitos de madeira torneada, não eram de plástico nem vinham da China em caixas de cartão, eram lançados com uma guita de cordel, não vinham com lançadores nem com fitas de plástico.

 

Eram da cor da madeira, mas nós fazíamos concursos de decoração, com os lápis de cera íamos pintando riscas de várias cores e depois ficávamos embevecidos a olhar para os efeitos fantásticos que obtínhamos quando os fazíamos girar.

 

No intervalo da escola fazíamos um circulo na terra do recreio e cada um jogava o seu, os que ficavam dentro do circulo terminavam vitimas da perícia dos amigos para acertarem com os bicos de aço, no fim do intervalo contavam-se as feridas abertas e havia sempre alguém que terminava com um pião aberto ao meio... baixas de guerra.

 

A habilidade sublime era lançar o pião no chão e depois colhê-lo e faze-lo girar na palma da mão... 

 

Olhei para este e fiquei com saudades de mim e dos meninos que jogavam ao pião comigo.

 

Vila Nova de Milfontes, Alentejo

Abril de 2011

 

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|
Terça-feira, 17 de Maio de 2011

O Mira em Odemira

Odemira

Odemira

Odemira

Odemira

Odemira

 

As margens do rio Mira em Odemira,

Alentejo, Abril de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 19:16
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

o poema duma macieira.

Poema de uma macieira

 

Este é o poema duma macieira.

Quem quiser lê-lo,

Quem quiser vê-lo,

Venha olhá-lo daqui a tarde inteira.

 

Floriu assim pela primeira vez.

Deu-lhe um sol de noivado,

E toda a virgindade se desfez

Neste lirismo fecundado.

 

São dois braços abertos de brancura;

Mas em redor

Não há coisa mais pura,

Nem promessa maior.

 

Miguel Torga

 

 

Obrigado Lídia

Setúbal, Maio de 2010

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Segunda-feira, 16 de Maio de 2011

Margaridas no Alentejo

Margaridas

Margaridas

Margaridas

Margaridas

 

A Primavera no Alentejo, margaridas.

Parque Zmar, Odemira, Alentejo

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 21:23
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|

Que música escutas tão atentamente ...

Os pardais no Alentejo

 

Que música escutas tão atentamente

que não dás por mim?

Que bosque, ou rio, ou mar?

Ou é dentro de ti

que tudo canta ainda?

Queria falar contigo,

dizer-te apenas que estou aqui,

mas tenho medo,

medo que toda a música cesse

e tu não possas mais olhar as rosas.

Medo de quebrar o fio

com que teces os dias sem memória.

Com que palavras

ou beijos ou lágrimas

se acordam os mortos sem os ferir,

sem os trazer a esta espuma negra

onde corpos e corpos se repetem,

parcimoniosamente, no meio de sombras?

Deixa-te estar assim,

ó cheia de doçura,

sentada, olhando as rosas,

e tão alheia

que nem dás por mim.

 

Eugénio de Andrade

 

Era um cercado com dois burros, gansos, patos... as ovelhas andavam à solta perto de ali... a D. queria ver os burros, num intervalo entre aguaceiros conseguimos chegar até lá, curiosamente não tenho nenhuma fotografia dos outros animais,.. mas estes pardais na cerca chamaram a minha atenção.

 

Parque de Campismo Zmar, Odemira, Alentejo

Abril de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Related Posts with Thumbnails

Direitos de Autor
Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

 

.pesquisar

 

Também estou aqui: 

Olhares

Picasa Jorge Freitas Soares

Picasa Momentos e olhares



First Class Radio 

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 268 seguidores

.arquivos

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.links

.Quem cá vem



.mais comentados

SAPO Blogs

.subscrever feeds