Sexta-feira, 30 de Setembro de 2011

Londres: O O2

O2, Londres

O2, Londres

Londres, O2

Londres, O2

Londres, O2

 

O O2 é uma gigantes sala de espectáculos e centro comercial situado a Sul de Greenwich

Londres, Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 21:09
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Que o tempo é o mais forte

Dizer sim à vida

 

Dizer que sim à vida
Dizer que não à morte
Dizer na despedida
Que o tempo é o mais forte

Dizer que sim à vida
Dizer que não à morte
Jogar na despedida
A carta que é a sorte

Dizer a toda a gente
Que o amor de repente
Entrou no nosso jogo
Dizer a toda a gente
Que o nosso corpo é quente
A nossa boca ardente
E a nossa alma fogo...

E se não for verdade
Tudo o que nós dizemos
Tudo o que nós sentimos
Também não é saudade
Por isso é que nos rimos

 

José Carlos Ary dos Santos

 

Setúbal, Maio de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Quinta-feira, 29 de Setembro de 2011

Astúrias: Playa de Otur

Astúrias, Playa de Otur

Astúrias, Playa de Otur

Playa de Otur, Astúrias

Astúrias, Playa de Otur

Astúrias, Playa de Otur

 

Playa de Otur, Luarca, Astúrias, Espanha

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 19:05
link do post | comentar | favorito
|

Pusemos tanto azul nessa distância

Azul... o rio azul, o céu azul.. o Sado

 

Pusemos tanto azul nessa distância 
ancorada em incerta claridade 
e ficamos nas paredes do vento 
a escorrer para tudo o que ele invade. 

Pusemos tantas flores nas horas breves 
que secam folhas nas árvores dos dedos. 
E ficámos cingidos nas estátuas 
a morder-nos na carne dum segredo. 

Natália Correia - de Poemas (1955)

 

O Sado, o Rio Azul

Setúbal, Junho de 2010

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 28 de Setembro de 2011

Londres, Covent Garden

Covent Garden, Londres

Londres, Covent Garden

Londres, Covent Garden

Londres, Covent Garden

Londres, covent Garden

 

Londres, Covent Garden

 

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 22:01
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Quando for grande vou ser, quero ser ....

Astúrias, La Isla

 

Quando for grande vou ser, quero ser um realejo
Ter um pedaço de terra, fogo que salta ao braseiro
Dormir no fundo da serra, quero ser um realejo

Carteiro em bicicleta leva recados de amor
Vem o sono com a música ao som do... do realejo

Quando for grande vou ser, quero ser um realejo
Ter um burro Vialicante, chamar a Dança dos Sapos
Correr com a bola na mão, quero ser um realejo

Quando for grande vou ser, quero ser um realejo
Colher amêndoa em telhados, dar banana às andorinhas
Dobrar o cabo do Mundo, quero ser um realejo

Carteiro em bicicleta leva recados de amor
Vem o sono com a música ao som do... realejo
Carteiro em bicicleta leva recados de amor
Vem o sono com a música ao som do... realejo

Quando for grande vou ser, quero ser um realejo
Ter um burro Vialicante, chamar a Dança dos Sapos
Correr com a bola na mão, quero ser um realejo

Carteiro em bicicleta leva recados de amor
Vem o sono com a música ao som do... realejo
Carteiro em bicicleta leva recados de amor
Vem o sono com a música ao som do... realejo

 

José Afonso

 

Ouvir aqui na voz de João Afonso

 

La Isla, Astúrias, Espanha

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Terça-feira, 27 de Setembro de 2011

Astúrias: Cudillero

Cudillero, Astúrias

Cudillero, Astúrias

Cudillero, Astúrias, Espanha

Cudillero, Astúrias, Espanha

Cudillero, Astúrias, Espanha

Cudillero, Astúrias, Espanha

 

Cudillero, Astúrias, Espanha

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 17:22
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Há Palavras que Nos Beijam

Há palavras que nos beijam

 

Há Palavras que Nos Beijam

 

Há palavras que nos beijam 

Como se tivessem boca. 
Palavras de amor, de esperança, 
De imenso amor, de esperança louca. 

Palavras nuas que beijas 
Quando a noite perde o rosto; 
Palavras que se recusam 
Aos muros do teu desgosto. 

De repente coloridas 
Entre palavras sem cor, 
Esperadas inesperadas 
Como a poesia ou o amor. 

(O nome de quem se ama 
Letra a letra revelado 
No mármore distraído 
No papel abandonado) 

Palavras que nos transportam 
Aonde a noite é mais forte, 
Ao silêncio dos amantes 
Abraçados contra a morte. 

Alexandre O'Neill, in 'No Reino da Dinamarca'

 

Fonte das seis bocas ou dos canos /Fuente de las seis Bocas o de los caños

Avilês, Astúrias

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Segunda-feira, 26 de Setembro de 2011

Astúrias: À beira rio

Rio Suarón

Rio Suarón

Rio Suarón

Rio Suarón

Rio Suarón

 

Nas margens do rio Suarón, Vegadeo, Astúrias

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 19:14
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Domingo, 25 de Setembro de 2011

O tempo vive, quando os homens, nele, se esquecem de si mesmos

O tempo vive

 

O tempo vive, quando os homens, nele,
se esquecem de si mesmos,
ficando, embora, a contemplar o estreme
reduto de estar sendo.
O tempo vive a refrescar a sede
dos animais e do vento,
quando a estrutura estremece
a dura escuridão que, desde dentro,
irrompe. E fica com o uivo agreste
espantando o seu estrondo de silêncio.

Fernando Echevarría

 

Setúbal, Maio de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 10:32
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 24 de Setembro de 2011

Londres: animação de rua, Covent Garden

Londres, Covent Garden

Londres, animação de rua, Covent Garden

Londres, Covent Garden

Londres, Covent Garden

Londres, Covent Garden

 

Covent Garden Londres

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 11:58
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Sexta-feira, 23 de Setembro de 2011

De Volta ao quintal da minha mãe: Flores de verão

Flores de Verão

Flores de Verão

Flores de verão

Flores de Verão

Flores de Verão

 

Flores de verão, flores de Agosto.. flores do quintal da minha mãe

 

Alviães, Oliveira de Azeméis

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 17:34
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Outono

Outono

 

Outono

 

Uma lâmina de ar

Atravessando as portas. Um arco,

Uma flecha cravada no outono. E a canção

Que fala das pessoas. Do rosto e dos lábios das pessoas.

E um velho marinheiro, grave, rangendo o cachimbo como

Uma amarra. À espera do mar. Esperando o silêncio.

É outono. Uma mulher de botas atravessa-me a tristeza

Quando saio para a rua, molhado, como um pássaro.

Vêm de muito longe as minhas palavras, quem sabe se

Da minha revolta última. Ou do teu nome que repito.

Hoje há soldados, eléctricos. Uma parede

Cumprimenta o sol. Procura-se viver.

Vive-se, de resto, em todas as ruas, nos bares e nos cinemas.

Há homens e mulheres que compram o jornal e amam-se

Como se, de repente, não houvesse mais nada senão

A imperiosa ordem de (se) amarem.

Há em mim uma ternura desmedida pelas palavras.

Não há palavras que descrevam a loucura, o medo, os sentidos.

Não há um nome para a tua ausência. Há um muro

Que os meus olhos derrubam. Um estranho vinho

Que a minha boca recusa. È outono.

A pouco a pouco despem-se as palavras.

Joaquim Pessoa

 

Jorge Soares

Novembro de 2010


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 22 de Setembro de 2011

Astúrias; As maçãs do Caminho de Santiago

Maçãs das Astúrias

Maçãs das Astúrias

Maçãs

Maçãs

Maçãs

 

Entre as praias do Arenal de Moris e de Esparsa, o caminho de Santiago vai mesmo junto ao mar, mais ou menos a meio caminho há uma macieira, nesta altura os frutos estavam assim..... apetitosos.

 

Caminho de Santiago, Caravia, Astúrias, Espanha

Agosto de 2011


publicado por Jorge Soares às 17:44
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

há-de flutuar uma cidade no crepúscolo da vida

Cudillero, Astúrias

 

há-de flutuar uma cidade no crepúscolo da vida
pensava eu... como seriam felizes as mulheres
à beira mar debruçadas para a luz caiada
remendando o pano das velas espiando o mar
e a longitude do amor embarcado

por vezes
uma gaivota pousava nas águas
outras era o sol que cegava
e um dardo de sangue alastrava pelo linho da noite
os dias lentíssimos... sem ninguém

e nunca me disseram o nome daquele oceano
esperei sentada à porta... dantes escrevia cartas
punha-me a olhar a risca de mar ao fundo da rua
assim envelheci... acreditando que algum homem ao passar
se espantasse com a minha solidão

(anos mais tarde, recordo agora, cresceu-me uma pérola no coração. mas estou só, muito só, não tenho a quem a deixar.)

um dia houve
que nunca mais avistei cidades crepusculares
e os barcos deixaram de fazer escala à minha porta
inclino-me de novo para o pano deste século
recomeço a bordar ou a dormir
tanto faz
sempre tive dúvidas que alguma vez me visite a felicidade


Al Berto

 

Cudillero, Astúrias, Espanha

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Quarta-feira, 21 de Setembro de 2011

Londres: Os dinossauros

Londres, Dinossauros, Museu de História natural

Tiranossauro Rex, Museu de História natural, Londres

Dinossauros, Londres

Museu de História natural, Londres

Londres, Dinossauros, Museu de história natural

 

Museu de história natural, Londres

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 21:02
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Rio de luz

O2 à noite, Londres

 

Vista nocturna do O2 desde as doclands

Londres, Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Terça-feira, 20 de Setembro de 2011

Astúrias: La Concha de Artedo

La concha de Artedo

La concha de Artedo, Playa

Praia de La Concha de Artedo

La Concha de Artedo, playa, Astúrias

La Concha de Artedo, Playa

 

Praia La Concha de artedo, Astúrias, Espanha

Agosto de 2011


publicado por Jorge Soares às 21:14
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

A Busca

Praia do Arenal de Moris

 

Busca

 

Durante anos os procurei,
um amor, um lugar,
um sonho de casas eternas,
um cais de outrora quando se acendiam as
lâmpadas,
durante anos te procurei,
caminhante das estrelas solitárias, das
estrelas sem nome,
brilhando sobre as ilhas, sabe-se lá onde,
em que oceanos que levaste contigo,
no grande eclipse desta vida.

José Agostinho Baptista

 

Praia do Arenal de Moris, Caravia, Astúrias, Espanha

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Segunda-feira, 19 de Setembro de 2011

Praia das catedrais 2

Praia das catedrais

 

Praia das Catedrais é o nome turístico da Praia de Águas Santas que fica situada no município de Ribadeo, na costa de Lugo, mesmo na fronteira entre a Galiza e as Astúrias. Banhada pelo mar Cantábrico, fica a uns 10Kms a oeste de Ribadeo. O nome de Praia das Catedrais tem a sua origem devido à presença imponente de alcantilados que com as suas formações naturais tem a aparência de verdadeiras catedrais.

 

Foi declarada um monumento natural pela Conselharia do meio ambiente da Galiza.

 

O mais característico desta praia que tem mais de um Km de areias finas, é que a mesma só existe na baixa mar, com a maré alta a água chega até ao sopé altos alcantilados e a praia só é apreciável desde topo dos enormes rochedos. Com a maré baixa, para além do extenso areal, ficam visíveis uma série de grutas e arcos escavados na rocha pela erosão causada pelo mar e pelo vento. Há arcos com mais de 30 metros de altura que recordam as colunas de uma catedral.

 

É um lugar fabuloso para os fotógrafos, ainda que eu tive a pouca sorte de que a maré baixa foi da parte da manhã quando a luz estava atrás das enormes paredes.

 

Praia das catedrais, Ribadeo, Galiza, Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 19:24
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Praia das Catedrais

Praia das catedrais

Praia das catedrais

Praia das catedrais

Praia das catedrais

Playa de las catedrales

 

Praia das Catedrais, Ribadeo, Galiza, Espanha

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 17:24
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Ausência

Concha de Artedo, Astúrias

 

Ausência
 

Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces.
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida 
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado. 
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados 
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada.
Que ficou sobre a minha carne como nódoa do passado. 
Eu deixarei... tu irás e encostarás a tua face em outra face. 
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada. 
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite. 
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa. 
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço. 
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado. 
Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos. 
Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir. 
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas. 
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada. 
  

MORAES, Vinícius de. ANTOLOGIA POÉTICA.

 

 

La Concha de Artedo, Astúrias, Espanha

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|
Domingo, 18 de Setembro de 2011

Londres: Museu de História natural

Museu de história natural

Museu de História natural

Londres, Museu de história natural

Museu de história natural

Londres, Museu de História Natural

 

Museu de História Natural

Londres, Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 19:39
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 17 de Setembro de 2011

Londres: Afinal o Big Ben não é o Big Ben, é a torre do Relógio

O Big Ben não é o Big Ben, é a Torre do relógio

 

Big Ben, ao contrário do que muitos pensam, não é o famoso relógio do Parlamento Britânico, nem tão pouco a sua torre. É o nome do sino, que pesa 13 toneladas e que foi instalado no Palácio de Westminster durante a gestão de sir Benjamin Hall, ministro de Obras Públicas da Inglaterra, em 1859. Por ser um sujeito alto e corpulento, Benjamim tinha o apelido de Big Ben. Todos os dias, a rádio BBC transmite as badaladas do sino. O sino foi fundido por George Mearsem 1858, media quase 3 metros de diâmetro e pesava 13, 5 toneladas.

 

O nome do relógio é Tower Clock, ou Clock Tower (Torre do Relógio), e é muito conhecido pela sua precisão e tamanho. 

 

A Actual Torre do Relógio foi construída como parte do projecto de Charles Barry para um novo palácio, depois de o antigo Palácio de Westminster ter sido em grande parte destruído por um incêndio na noite de 16 de Outubro de 1834.

 

O novo Parlamento foi construído ao estilo neo-gótico. Apesar de Barry ter sido o principal arquitecto do Palácio, foi  Augustus Pugin quem fez o prometo da Torre do Relógio, que se assemelha a trabalhos anteriores de  Pugin, incluindo um para Scarisbrick Hall. O projecto para a Torre do Relógio foi último de Pugin. A torre foi construida ao estilo de Pugin do Revival comemorado Gótico, tem 96,3 metros de altura (aproximadamente 16 andares)


A parte inferior da estrutura da Torre do Relógio é em alvenaria com areia colorida do revestimento de pedra calcária Anston. O restante da altura da torre é de ferro fundido moldado.


Apesar de ser uma das principais atracões turísticas do mundo, o interior da torre não está aberta a visitantes estrangeiros, ainda que para os residentes do Reino Unido seja possivel organizar visitas. A torre não tem elevador, pelo que é necessário subir os 334 degraus de calcário até ao topo.


Devido a mudanças nas condições do solo principalmente desde que se construiu a linha Jubilee do Metro, a torre inclinou-se levemente para noroeste, por cerca de 220 milímetros. Devido a efeitos térmicos oscila anualmente alguns milímetros a leste e oeste.

 

Fonte Wikipédia

 

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 14:40
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 16 de Setembro de 2011

Londres: Museu da ciência

Londres, Museu da ciência

Londres, Museu da ciência

Londres, Museu da ciência

Londres, Museu da ciência

Londres, Museu da ciência

 

Em Londres, a maioria dos museus são de entrada livre, entre eles o museu da ciência.

Fotografias tiradas com a máquina na mão

Museu da Ciência

Londres, Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 22:05
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,

Natureza, La Isla, Astúrias

 

Eu não tenho filosofia: tenho sentidos... 


Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é, 
Mas porque a amo, e amo-a por isso, 
Porque quem ama nunca sabe o que ama 
Nem sabe por que ama, nem o que é amar ... 


Amar é a eterna inocência, 
E a única inocência não pensar...

 

Alberto Caeiro in Guardador de rebanhos

 

Praia La Isla, Colunga, Astúrias, Espanha

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:03
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|
Quinta-feira, 15 de Setembro de 2011

Londres: Encontro de culturas

Pessoas

Londres, Pessoas

Londres, Pessoas

Londres, pessoas

Londres, Pessoas

 

Londres é a cidade das muitas culturas, gostava de ter tido um dia só para mim, para ir por ali apanhando as muitas e variadas culturas com que nos vamos cruzando...

 

Londres, Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 21:05
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

À Beira de Água

À Beira da água, Rio Sualón, Astúrias, espanha

 

Estive sempre sentado nesta pedra

escutando, por assim dizer, o silêncio.

Ou no lago cair um fiozinho de água.

O lago é o tanque daquela idade

em que não tinha o coração

magoado. (Porque o amor, perdoa dizê-lo,

dói tanto! Todo o amor. Até o nosso,

tão feito de privação.) Estou onde

sempre estive: à beira de ser água.

Envelhecendo no rumor da bica

por onde corre apenas o silêncio.

 

Eugénio de Andrade

 

Rio Sualón, Vegadeo, Astúrias

Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:04
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Quarta-feira, 14 de Setembro de 2011

Londres: .. em modo de postal

Londres

Londres, Táxis

Londres, Pub

Londres, Detalhes

Londres, Transportes Públicos

 

Detalhes de uma cidade de mil contrastes.

Londres, Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 21:38
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Todos os caminhos me servem

Passeando à beira mar, praia de Esparsa

 

Todos os Caminhos me Servem

 

 

 

Todos os caminhos me servem. 
Em todos serei o ébrio 
cabeceando nas esquinas. 
Uma rua deserta e o hálito 
das pessoas que se escondem, 
uma rua deserta e um rafeiro 
por companheiro. 

Ó mar que me sacode os cabelos 
que mulher alguma beijou, 
lágrimas que os meus olhos vertem 
no suor dos lagares, 
que uma onda vos misture 
e vos leve a morrer 
numa praia ignorada. 

Fernando Namora, in "Mar de Sargaços"

 

No caminho de Santiago entre as praias do Arenal de Moris e Esparsa

Astúrias, Agosto de 2011

Jorge Soares


publicado por Jorge Soares às 00:05
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Related Posts with Thumbnails

Direitos de Autor
Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

 

.pesquisar

 

Também estou aqui: 

Olhares

Picasa Jorge Freitas Soares

Picasa Momentos e olhares



First Class Radio 

.mais sobre mim

.arquivos

. Dezembro 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.links

.Quem cá vem



.mais comentados

blogs SAPO

.subscrever feeds