Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Opuntia:Flores entre espinhos

Flor de cacto em Setúbal

Cactus

Cactus

Opuntia em flor

Flor de cactus

 

 Num fim de tarde algures no sopé da serra da Arrábida em Setúbal, flores de Cactus

 

 

Opuntia é um gênero botânico da família cactaceae. Todas as suas espécies são originárias doContinente Americano, onde são encontradas desde a Patagônia até os Estados Unidos da América.

Introduzidas em habitats exóticos, como na Austrália, transformam-se em pragas, combatidas por meio de parasitas naturais, como o inseto Cactoblastis cactorum.

 

Fonte Wikipédia

Bragança:Os Caretos

Bragança, a Rotunda dos caretos

Bragança, rotunda dos caretos

Rotunda dos caretos

Bragança, Caretos

 

Bragança, Rotunda dos caretos

Julho de 2009

 

O careto é um homem mascarado. Usa uma máscara com um nariz saliente feita de couro, latão ou madeira pintada com cores vivas de amarelo, vermelho ou preto. Numa outra versão, a máscara, feita de madeira de amieiro decorada com chifres e outros apetrechos, é usada em Lazarim.

O careto usa fatos às riscas, com capuz, de cores garridas, feitos de colchas com franjas compridas de lã vermelha, verde e amarela. Carrega bandoleiras com campainhas e enfiadas de chocalhos à cintura. Da sua indumentária faz também parte um pau ou cacete.

A festa dos caretos faz parte de uma tradição milenar que é celebrada em Portugal no Entrudo. Em Trás-os-Montes é celebrado em várias aldeias dos concelhos de Vinhais, Bragança, Macedo de Cavaleiros e Vimioso, e na Beira Alta em Lazarim.

 

Fonte Wikipédia

Libelinhas

Libelinha e mSetúbal

Sexo?.. libelinhas

Libelinha Vermelha

Libelinha Vermelha

Libelinha vermelha

Libelinha 

Este ano ainda não vi nenhuma, estas são algumas das do ano passado.

 

O Blog vai de férias.... volto daqui a umas 3 semanas,.. o ano passado andava tão preocupado em arranjar conteúdo cá para o blog, que até virei atracção turística.... prometo que este ano vou tentar ter mais cuidado... ir para um local onde chove menos é um bom principio.

 

Boas férias a quem ainda não foi, bom trabalho a quem já está de volta

 

Jardim da Algodeia, Setúbal

 

Jorge Soares

Timidez

Timidez

 

 Basta-me um pequeno gesto,

feito de longe e de leve,

para que venhas comigo

e eu para sempre te leve...

- mas só esse eu não farei.

 

Uma palavra caída

das montanhas dos instantes

desmancha todos os mares

e une as terras distantes...

- palavras que não direi.

 

Para que tu me adivinhes,

entre os ventos taciturnos,

apago meus pensamentos,

ponhos vestidos noturnos,

- que amargamente inventei.

 

E, enquanto não me descobres,

os mundos vão nevegando

nos ares certos do tempo

até não se sabe quando...

- e um dia me acabarei.

 

Cecília Meireles

 

Algures no Nordeste, São Miguel, Açores,

Agosto de 2008

 

Jorge Soares

 

Aug 21, 2008,Câmara: SONY ,Modelo: DSLR-A350,ISO: 200,Exposição: 1/320 seg.,Abertura: 5.6 Extensão focal: 200mm

Bragança:A rotunda dos touros

 Os Touros

A rotunda dos Touros

Os Touros e os pastores, Bragança

A rotunda dos Touros, cascata de agua, Bragança

 

Em Portugal as rotundas nascem como cogumelos, a maioria não passa de obstáculos na estrada, a maior parte das vezes estão descuidadas e sem manutenção, mas há exemplos fantásticos, e em Bragança há mais que uma, esta rotunda é uma obra de arte, os touros, os pastores, a queda de água, as rochas, tudo.

 

Bragança, Julho de 2009

Jorge Soares

A Solidão

Solidão, em Fa Menor

 


 

Sentir-se Rejeitado

Olhar-se mal amado
E pensar em si a culpa, o pecado

Mas não ler no peito a causa, o motivo
De não haver ninguém consigo
Alguém onde chorar, um ombro amigo

Tristeza, penas, abandono
Perde-se a alegria de viver
A alma adoece
E o rosto desvanece
Na vida amargo sono
De uma noite que não quer amanhecer

Quando a amizade é apenas utopia
E o amor unicamente uma ilusão
Sufocam emoções em negro dia
Como um arrocho enforcando o coração

É um olhar que nunca acontece
É um sorriso que tarda em chegar
É um verbo que sofre negação
É uma dor que te cobre como um manto
E transforma o teu rio em mar de pranto
E te assombra esse fantasma, a solidão

Mas se dela desprenderes o olhar
E granjeares uma réstia de luar
Nem tudo está perdido, podes crer
Segura firme a chama que alumia
Pois dentro de ti tens o poder
De transformar a noite em pleno dia

 

Fa Menor

 

Praia do Meco, Sesimbra, Setúbal

Novembro de 2008

Jorge Soares

 

Nov 9, 2008,Câmara: SONY DSLR-A350, ISO: 160, Exposição: 1/320 seg., Abertura: 5.6,Extensão focal: 200mm

Saudades das flores...e dos dias frescos!

 Flores da Irlanda, Amarelo

Flores da Irlanda, Verde Amarelo

Flores da Irlanda, Branco

Flores da Irlanda

Flores da Irlanda

 

As cores das flores  Primavera da Irlanda.

 

Lá fora está muito calor, mais perto dos 40 que dos 30 graus, a natureza está seca e a terra ressequida, gosto do sol de Setúbal, gosto do verão, mas em dias como o de hoje, tenho saudades, saudades de uma eterna Primavera algures nos dias de um passado já muito longe, e até saudades dos dias frescos e chuvosos da primavera da Irlanda.

 

Carrigaline, Cork, Irlanda

Abril de 2009

Jorge Soares

 

Segredo

O segredo

 

Bate irrequieto

Coração desfeito

Em compasso imperfeito

Apertado no peito

 

Perdido na noite como um vagabundo

Tentando conter um suspiro profundo.

Solitário e sofrido. Caminhando a medo,

Segredando às estrelas que tem um segredo

 

Eu tenho um segredo!...

 

Não conto, não digo,

Não vou revelar!

Fica sempre comigo.

Vou ter de o calar...

 

Flor

 

Quando Troia ainda era do Povo

Praia do Bico das Lulas, Troia, Setúbal

Novembro de 2008

Jorge Soares

 

Nov 23, 2008, Câmara: SONY ,DSLR-A350,ISO: 100,Exposição: 1/1000 seg.,Abertura: 5.6,Extensão focal: 200mm

Direitos de Autor
Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

 

Pág. 1/3

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Quem cá vem