Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Há amores assim

Há amores assim

Há amores assim

Que nunca têm início

Muito menos têm fim

Na esquina de uma rua

Ou num banco de jardim

Quando menos esperamos

Há amores assim

 

Não demores tanto assim

Enquanto espero o céu azul

Cai a chuva sobre mim

Não me importo com mais nada

Se és direito ou o avesso

Se tu fores o meu final

Eu serei o teu começo

 

Não vou ganhar

Nem perder

Nem me lamentar

Estou pronta a saltar

De cabeça contra o mar

 

Je t’aime je t’adore

Um amor nunca se escolhe

Mas sei que vais reparar em mim

Yo te quiero tanto

E converso com o meu santo

Eu rezo e até peço em latim

 

Há amores assim

Que nunca têm início

Muito menos têm fim

Na esquina de uma rua

Ou num banco de jardim

Quando menos esperamos

Há amores assim

 

Não vou medir

Nem julgar

Eu quero arriscar

Tenho encontro marcado

Sem tempo nem lugar

 

Je t’aime je t’adore

Um amor nunca se escolhe

Mas sei que vais reparar em mim

Yo te quiero tanto

E converso com o meu santo

Eu rezo e até peço em latim

 

Je t’aime je t’adore

Um amor nunca se escolhe

Mas sei que vais reparar em mim

Yo te quiero tanto

E converso com o meu santo

Eu rezo e até peço em latim

 

Não demores tanto assim

Enquanto espero o céu azul

Cai a chuva sobre mim

Não me importo com mais nada

Se és direito ou o avesso

Se tu fores o meu final

Eu serei o teu começo

 

Quando te encontrar sei que tudo se iluminará

Reconhecerei em ti meu amor, a minha eternidade

É que na verdade a saudade já me invade

Mesmo antes de te alcançar

É a sede que me mata

Ao sentir o rio abraçar o mar

 

Je t’aime je t'adore

Um amor nunca se escolhe

Mas sei que vais reparar em mim

Yo te quiero tanto

E converso com o meu santo

Eu rezo e até peço em latim

 

Sem lágrima caída

Sou dona da minha vida

Sem nada mais nada

De bem com a vida

 

Dona Maria

 

Praça do Rossio, Lisboa, Novembro de 2008

Jorge Soares

 

22 de Nov de 2008, Câmara: SONY DSLR-A350, ISO: 400, Exposição: 1/500 seg., Abertura: 5.6, Extensão focal: 200mm

Direitos de Autor
Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Quem cá vem