Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Primavera primeira

Primavera primeira

 

estremeço desde o princípio do meu rosto
desde o momento em que sorri e me sorriram
e é nesse lugar ínfimo que suspendo todas as palavras
que fecho os olhos e sinto a frescura de todas as águas
o oceano que cessa e atende o esvoaçar da primavera

é a primavera de todos os outonos
é aqui que em silêncio se bordam os calendários
dias entre dias e sobre dias e as memórias que escapam
e não mais se alcançam se não nos tornamos menores
- no futuro não há esquecimento nem segredos
cada coração guarda apenas o que for mais comum

Vasco Gato

 

Carrigaline, Irlanda

Abril de 2009

 

Jorge Soares

 

25 de Abr de 2009, Câmara: SONY DSLR-A350, ISO: 400, Exposição: 1/160 seg., Abertura: 5.6, Extensão focal: 200mm

Longo foi o caminho

Fim do dia em Roma

 

Longo foi o caminho e desmedidos
Os sonhos que nele tive.
Mas ninguém vive
Contra as leis do destino.
E o destino não quis
Que eu me cumprisse como porfiei.
E caísse de pé, num desafio
Rio feliz a ir de encontro ao mar
Desaguar,
E, em largo oceano, eternizar
O seu esplendor torrencial de rio.

Miguel Torga

 

 

Fim de tarde no Foro Romano, Roma

Dezembro de 2010

Jorge Soares

As águas correm, cheias de memórias

Cascata no Gerês

 

As águas correm, cheias de memórias

Passado perdido de lutas inglórias

Que o Fado há muito abandonou

Meu legado de esperança

Reside na etérea mudança

De um momento que passou...

 

 

Destino desfigurado

Templo marginalizado

De mentiras e ilusões

Procuro salvo resguardo

Nas malhas de um tempo minado

Por tristes recordações...

 

 

Sou um rio de águas paradas

Apelo, em vão, pelo mar

Prisioneiro destas margens

Pelas eternas paragens

Que adornam meu sonhar

Corro, sem nunca chegar...

 

 

In-perfeita

 

Parque nacional da Peneda Gerês

Novembro de 2010

Jorge Soares

Em Janeiro as cores .....

Flores em Janeiro

 

... são frias, nos dias nublados predomina a luz azul, este hibisco estava num lugar sombrio. Não é dificil dar a volta às condições naturais, basta ir aos setings da máquina e mudar o white balance para nublado de modo a que esta acrescente algo de luz laranja que contraste o frio azul do Inverno ... aqui o amador nunca se lembra dessas coisas....

 

Setúbal

Janeiro de 2011

Jorge Soares

A Primavera que se anuncia e o Outono que tarda em sair

Folha

 

Não foi no mesmo dia da fotografia das flores de pessegueiro do post anterior, mas podia ter sido, porque bem perto daquele pessegueiro havia um plátano onde ainda podíamos ver as últimas folhas do Outono anterior.. junto com os primeiros rebentos das novas que em breve voltarão a cobrir a árvore de verde. A natureza tarda em abandonar as suas vestes outonais e já se prepara para renascer...

 

Setúbal, Janeiro de 2011

Jorge Soares

Quando Tornar a Vir a Primavera

Flores de pessegueiro, promessa de primavera

 

Quando Tornar a Vir a Primavera

 

Quando tornar a vir a Primavera 
Talvez já não me encontre no mundo. 
Gostava agora de poder julgar que a Primavera é gente 
Para poder supor que ela choraria, 
Vendo que perdera o seu único amigo. 
Mas a Primavera nem sequer é uma cousa: 
É uma maneira de dizer. 
Nem mesmo as flores tornam, ou as folhas verdes. 
Há novas flores, novas folhas verdes. 
Há outros dias suaves. 
Nada torna, nada se repete, porque tudo é real. 

Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos"
Heterónimo de Fernando Pessoa

 

É um pessegueiro, está numa encosta da serra virada para sul e para o Sado, no fim de semana já estava assim... eu sei que uma andorinha não faz a Primavera.. mas uma flor faz... ou não?

 

Flores de pessegueiro em Janeiro, Parque Urbano de Albarquel, Setúbal

Janeiro de 2011

Jorge Soares

Direitos de Autor
Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Quem cá vem