Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Era uma vez um sapato ....

Sapatos desencontrados

 

 

 

O sapato perfumado

 

Era uma vez um sapato

totalmente amalucado.

Seu esquisito costume

era usar um bom perfume.

Ele nunca passeava

sem estar bem asseado;

pra isso, sempre passava

perfume por todo lado,

bastando o seu couro inteiro

com fragrâncias do estrangeiro,

e na sola e no cadarço

espalhava água-de-cheiro.

Que eu me lembre se casou

(e que lindo par formou!)

com a meia do garçom,

a qual tinha, por seu lado,

o costume amalucado

de pintar-se com batom.

 

Ricardo da Cunha Lima

 

Em:  De cabeça para baixo, São Paulo, Cia das Letras: 2000

 

Carnaval de Estarreja 2011

Jorge Soares

Margaridas do Cabo

Margarida do Cabo

Margarida do Cabo

Margarida do Cabo

Margarida do Cabo

 

Por norma utilizo a lente de 200 mm para as macros, mesmo quando como neste caso os objectos estão próximos, no Workshop do Gerês o José Romão ao ver a minha lente de 50 mm da Sony, falou-me de umas excelentes macros que tinha conseguido com uma lente destas. No outro dia no Portinho da Arrábida ao ver estas Margaridas do Cabo que estavam ali à mão de semear lembrei-me da conversa e decidi experimentar.... na tentativa de apanhar o máximo das pétalas nítidas, fui fechando o diafragma, o que fez perder uma parte do efeito macro, os fundos estão mais nítidos do que eu gostaria, mas não há dúvida que e tendo em conta que não há aqui Fotoshop e foi com a máquina na mão, esta lente dá uma excelente definição.

 

Portinho da Arrábida

Setúbal

Fevereiro de 2011

Jorge Soares

Verde Gaio

O gaio

 

As penas do verde Gaio
São verde e amarelas 
Não me empurres que eu não caio
Que eu sou rijo das canelas
  
Verde Gaio é novo é novo
Veio à pouco a Portugal
Só me trouxe uma lourinha 
No laço do avental
  
Verde Gaio é meu é meu
Que me custa o meu dinheiro
Sete patacos e meio
Lá no Rio de Janeiro
  
Verde Gaio é tolo é tolo
É tolo que já namora 
Deixa pai deixa mãe
Deixa tudo e vai-se embora
 
Canção Popular

 

Tenho uma bela colecção de imagens deste bichinho..  que apanhei no Alentejo no Verão passado.. estão aqui

 

Parque de campismo de São Miguel

Odemira, Alentejo

Junho de 2010

Jorge Soares

 

 

Primavera época perfeita

Primavera

 

Primavera época perfeita
Se cuidarmos com prazer
Obteremos colheita
Se não começar a chover

Já semei as batatas
E as alfaces também 
As corguetes já lá estão.
Ervilhas trepadeiras
Acompanham o feijão.

Não ignoremos os bróculos
As favas e os alhos
Em inicío de plantação
Grande carga de trabalhos
E muitos calos na mão

Pepino e abóboras ainda nem ver
Tomates, pimentos e cebolo
Ainda não chegou a época de meter

Quero ver tudo a florir
Lá no pequeno quintal
Cada dia que lá passo
É um dia especial

Não tarda parece a Green Farm
Sem galinhas e sem patos
Que isto de dar de comer
Custa caro e não compensa
Animais - só para estimação
Nunca para os ver morrer

Segunda é dia de feira
Talvez vá lá vender?!
Pois se tudo produzir
Que posso eu fazer?!
Transformar-me em ovelha
E passar o dia todo a comer?!

 

Flor

 

Junho de 2010

Jorge Soares

 

26 de Jun de 2010, Câmara: SONY, DSLR-A350, ISO: 100, Exp.: 1/640 seg., Abertura: 6.3, Ext.: 200mm

Mar

Mar

 

Mar

 

Tens sabor salgado mas és doce no sorrir

O teu cheiro convida-nos a abraçar-te

Beijas os pés a quem se aproxima

Acenas e cumprimentas com as tuas ondas

 

Choras as tuas revoltas em nossa direcção

Repousas o teu carinho em pequenas lagoas

Carregas em ti o peso da melancolia

Na tua solidão assobias de forma espiral

 

No teu interior todos os seres te obedecem

A tua beleza esconde mistérios por revelar

Os rios correm ávidos do teu abraço

E a Lua enamora-se por ti e ensina-te a tua direcção

 

Deixas que viagem sobre o teu colo

Vais aonde queres no ápice do teu desejo

Tens o poder de transformar o sonho em realidade

No lugar onde adormeces começa o nosso sonho

 

O vento é o teu mensageiro incondicional

Envias recados às nuvens

Os relâmpagos dançam contigo na noite

E de dia convidas o sol para caminhar contigo.

 

(In-perfeita)

 

O mar de Janeiro na Costa da Caparica...

Janeiro de 2011

Jorge Soares

Direitos de Autor
Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Quem cá vem