Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

A arte de ser feliz

Flor de ameixoiera
 
 
Houve um tempo em que minha janela
se abria sobre uma cidade que parecia 
ser feita de giz. Perto da janela havia um 
pequeno jardim quase seco. 
Era uma época de estiagem, de terra 
esfarelada, e o jardim parecia morto. 
Mas todas as manhãs vinha um pobre 
com um balde e, em silêncio, ia atirando 
com a mão umas gotas de água sobre 
as plantas. Não era uma rega: era uma 
espécie de aspersão ritual, para que o 
jardim não morresse. E eu olhava para 
as plantas, para o homem, para as gotas 
de água que caíam de seus dedos 
magros e meu coração ficava 
completamente feliz. 
Às vezes abro a janela e encontro o 
jasmineiro em flor. Outras vezes 
encontro nuvens espessas. Avisto 
crianças que vão para a escola. Pardais 
que pulam pelo muro. Gatos que abrem 
e fecham os olhos, sonhando com 
pardais. Borboletas brancas, duas a 
duas, como refletidas no espelho do ar. 
Marimbondos que sempre me parecem 
personagens de Lope de Vega. Às 
vezes um galo canta. Às vezes um 
avião passa. Tudo está certo, no seu 
lugar, cumprindo o seu destino. E eu me 
sinto completamente feliz. 
Mas, quando falo dessas pequenas 
felicidades certas, que estão diante de 
cada janela, uns dizem que essas coisas 
não existem, outros que só existem 
diante das minhas janelas, e outros, 

finalmente, que é preciso aprender a
olhar, para poder vê-las assim.

Cecília Meireles
 
No Sábado o tempo estava nublado e com promessas de chuva, mal cheguei reparei na ameixoeira coberta de pequenas flores, e não tardei a pegar na máquina, não fosse a chuva aparecer mesmo e deixar  a árvore lavada... estava um pouco de vento que dificultava a focagem...
 
Flores de ameixoeira no quintal da minha mãe
Alviães, Oliveira de Azemeis
Março de 2011
Jorge Soares

Direitos de Autor
Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

 

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Quem cá vem