Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

O cisne

O cisne

 

O silêncio é por vezes o maior orgulho que se pode mostrar.

 

Bjornstjerne Bjornson

 

 

Acho que a imagem teria ficado melhor desde o lado contrário, onde a luz incidia directamente e possivelmente ia ficar com mais claridade nos detalhes... mas acho que os cisnes e demais bicharada não me iam querer junto com eles no meio da água :-)

 

Jardim do Bonfim, Setúbal

Outubro de 2011

Jorge Soares

a Paixão Do Velho ...

Levantar voo

 

a Paixão Do Velho Pires, O Marinheiro

 

Ai, o amor quando nos toca 
é como se tocasse um sino 
um hino, um trino 
de um alegre passarinho 

Vou voar para o teu ninho 
vou tentar fazer o pino 
vou ser bailarino 
argentino, desatino 

Mas que hei-de eu fazer? 
O amor é um furacão 
desgovernando 
a minha embarcação

 

Sérgio Godinho

 

Cisne no Jardim do Bonfim, Setúbal

Setembro de 2009

Jorge Soares

Asas

Asas são para voar 

 

 

 

 

Asas servem para voar,

Para sonhar, ou para planar

Visitar, espreitar, espiar,

Mil casas do ar.

 

As asas não se vão cortar;

Asas são para combater,

Num lugar infinito no vacuo,

Para respirar o ar.

 

Asas servem para voar,

Para sonhar, ou para planar

Visitar, espreitar, espiar,

Mil casas do ar.

 

As asas não se vão cortar;

Asas são para combater,

Num lugar infinito no vacuo,

Para respirar o ar.

 

As asas são

Para proteger, te pintar

Não te esquecer,

Visitar-te, olhar-te, espreitar-te

Bem alto do ar.

 

E só quando quiseres pousar

Da paixão que te roer,

É um amor que vês nascer

Sem prazo, idade de acabar.

Não há leis para te prender

Aconteça o que acontecer.

 

Mas só quando quiseres pousar

Da paixão que te roer,

É um amor que vês nascer

Sem prazo, idade de acabar. (x2)

Não há leis para te prender

Aconteça o que acontecer.

 

Não vejo leis para te prender

Acontença o que acontecer.

Não há leis para te prender

Aconteça o que acontecer..

 

GNR

 

Jardim do Bonfim

Setúbal

Outubro de 2009

Jorge Soares

 

Oct 4, 2009, Câmara: SONY DSLR-A350, ISO: 100, Exposição: 1/500 seg., Abertura: 4.5, Extensão focal: 120mm

 

O lago do Jardim do Bonfim

Cisne no Jardim do Bomfim em Setúbal

 

No Jardim do Bonfim há um lago, houve um tempo em que no seu centro que havia uma fonte multicolorida que conjugava  os repuxos de agua com a musica que saía de várias colunas dispostas a toda a volta do lago, também havia um jardim escola e um café com sala de jantar envidraçada e uma esplanada no primeiro andar com vista para os repuxos do lago e para todo o jardim.

 

O café há muito que fechou, o jardim escola foi para obras, diziam que ia abrir uma escola de hotelaria e que os alunos fariam funcionar o café e um restaurante.

 

Pouco tempo antes das eleições li algures que a fonte seria reparada e colocada a funcionar, música incluída.... devo ter percebido mal, porque no lugar onde estavam os repuxos está agora o recipiente com a alimentação dos patos e cisnes, e em vários pontos do lago nasceram pequenas ilhas com vegetação.

 

Não é que eu tenha algo contra os patos e os cisnes, mas onde está a fonte reparada? e em que ano lectivo abre a escola de hotelaria?, e porque é que um jardim como este onde todos os dias há centenas de pessoas, não consegue ter um concesionário que abra o café?

 

E estes bichinhos lindos e simpáticos não estariam igual d efelizes no lago do Jardim da Algodeia que até tem agua corrente em lugar desta estagnada?

 

Eu e as minhas perguntas difíceis.

 

Jardim do Bonfim, Setúbal

Setembro de 2009

Jorge Soares

 

Oct 4, 2009, Câmara: SONY DSLR-A350, ISO: 160, Exposição: 1/400 seg., Abertura: 4.5, Extensão focal: 120mm

O cisne

O cisne 

O cisne, quando sente ser chegada
A hora que põe termo a sua vida,
Música com voz alta e mui subida
Levanta pela praia inabitada.

Deseja ter a vida prolongada
Chorando do viver a despedida;
Com grande saudade da partida,
Celebra o triste fim desta jornada.

Assim, Senhora minha, quando via
O triste fim que davam meus amores,
Estando posto já no extremo fio,

Com mais suave canto e harmonia
Descantei pelos vossos desfavores
La vuestra falsa fé y el amor mio.

 

Luis Vaz de Camões

 

Aug 19, 2008, Câmara: SONY , Modelo: DSLR-A350, ISO: 100, Exposição: 1/250 seg., Abertura: 6.3 Extensão focal: 55mm

 

Parque  Terra Nostra, Furnas, Povoação, São Miguel, Açores

No escuro

 
O cisne
 
 
No silêncio
nem sempre estou…
 
Sou nada, sou caruma
Sou água, sou espuma
Sou ruído, sou radiola
Sou pavão, sou gaiola
Sou asa, sou alvoroço
Sou seiva, sou esboço
Sou luz, sou confessor
Sou adubo, sou condor
Sou desejo, sou carne
Sou grito, sou alarme
Sou raiz, sou grainha
Sou santa, sou rainha
Sou começo, sou fim
Sou jade, sou jasmim
Sou calor, sou carvão
Sou lume, sou solidão
Sou corvo, sou trilho
Sou cisne, sem brilho
 
No silêncio,
às vezes, aconteço! 
 
Paola

 

Retirado do blog Versos a sós

 

 

PS:Porque é uma enorme honra que utilizes as minhas humildes fotografias para ilustrar os teus textos e os teus versos.

Direitos de Autor
Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Quem cá vem