Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

O tempo vive, quando os homens, nele, se esquecem de si mesmos

O tempo vive

 

O tempo vive, quando os homens, nele,
se esquecem de si mesmos,
ficando, embora, a contemplar o estreme
reduto de estar sendo.
O tempo vive a refrescar a sede
dos animais e do vento,
quando a estrutura estremece
a dura escuridão que, desde dentro,
irrompe. E fica com o uivo agreste
espantando o seu estrondo de silêncio.

Fernando Echevarría

 

Setúbal, Maio de 2011

Jorge Soares

O poderio da solidão

Solidão

 

Quando é grande o poderio 
da solidão, ao seu lado 
estanca a aura exterior do brilho 
que a fica aí preservando. 
Às vezes, outra se avizinha. O sítio 
da vizinhança contamina o espaço. 
E uma como que luz que antecedesse o espírito 
remove o vácuo, 
de forma a ele se ir constituindo 
espera de verbo. Âmbito 
a iluminar-se recinto 
aonde as solidões, aproximando- 
-se a frequência aumentassem do alto poderio 
e estancassem ao bordo granítico do canto. 
 

Fernando Echevarría, in "Figuras" 

 

Fim de tarde no rio Judeo

Seixal, Outubro de 2008

Jorge Soares

Seria eterno

Flores

 

Seria eterno, se não fosse entrando 
por aquele país de solidão, 
aonde ver a luz alarga, quando 
e alarga, à volta, a vinda do verão. 

Seria eterno. Assim somente o brando 
movimento de entrar se lhe mensura, 
conforme ver, ao ir-se dilatando, 
amplia o campo útil da ternura. 

E, enquanto entra, um cântico de brisa 
lembra quanto por campos foi outrora 
tempo apagando a sua face lisa, 

qual se alisando, se apagasse a hora. 
E, indo entrando, a solidão se irisa 
e o vai esquecendo pelo tempo fora. 

Fernando Echevarría, in "Figuras" 

 

Jorge Soares

Junho de 2009

 

Jun 10, 2009, Câmara: SONY , DSLR-A350, ISO: 100, Exposição: 1/640 seg., Abertura: 5.6, Extensão focal: 200mm

Direitos de Autor
Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Posts mais comentados

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Quem cá vem