Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Tudo na vida está em esquecer o dia que passa.

 

 

Tudo na vida está em esquecer o dia que passa.

Não importa que hoje seja qualquer coisa triste,

um cedro, areias, raízes,

ou asa de anjo

caída num paul.

O navio que passou além da barra

já não lembra a barra.

Tu o olhas nas estranhas águas que ele há-de sulcar

e nas estranhas gentes que o esperam em estranhos portos.

Hoje corre-te um rio dos olhos

e dos olhos arrancas limos e morcegos.

Ah, mas a tua vitória está em saber que não é hoje o fim

e que há certezas, firmes e belas,

que nem os olhos vesgos

podem negar.

Hoje é o dia de amanhã.

 

 Fernando Namora

 

Monumento ao 25 de Abril, 

Setúbal, Junho de 2014

Jorge Soares

Pescaria

Fim de tarde em Setúbal 

 

Pescaria
Cecilia Meireles

Cesto de peixes no chão.
Cheio de peixes, o mar.
Cheiro de peixe pelo ar.
E peixes no chão.

Chora a espuma pela areia,
na maré cheia.

As mãos do mar vê e vão,
as mão do mar pela areia
onde os peixes estão.

As mãos do mar vêm e vão,
em vão.
Não chegarão
aos peixes do chão.

Por isso chora, na areia
a espuma da maré cheia. 

 

 

Fim de tarde junto ao Rio Sado

Setúbal, Julho de 2012

Jorge Soares

Évora: Ruínas Fingidas

Évora, ruínas Fingidas

 

Ruínas Fingidas


Esta construção cenográfica de inspiração romântica conhecida por “Ruínas Fingidas” foi projectada por José Cinatti.


Na sua concepção foram utilizados materiais arquitectónicos provenientes das ruínas de vários monumentos civis e religiosos da cidade.


Foram especialmente utilizados elementos de janelas geminadas de estilo manuelino-mudéjar, talvez por eles traduzirem o imaginário romântico associado à contemplação e nostalgia da época dos Descobrimentos portugueses, e em particular o reinado de D. Manuel I.

As Ruínas Fingidas, integradas numa torre e troço da muralha medieval (séc. XIV) e próximas do Palácio de D. Manuel (séc. XVI), faziam parte integrante da concepção geral do Jardim Público, também ele desenhado por Cinatti como espaço de passeio, deleite e contemplação bucólica, próprio do ideário “progressista” de finais da segunda metade do séc. XIX.

 

Fonte Câmara Municipal de Évora

Direitos de Autor
Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Quem cá vem