Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Momentos e Olhares

A vida é feita de momentos, alguns são apagados, levados pelas ondas da vida, outros ficam, perduram na nossa memória e fazem de nós o que somos, olhares, vivências, recordações e saudade! -Jorge Soares

Flor da Paixão

Flor da paixão

Flor da paixão, flor de maracujá

Flor da paixão

Flor de maracujá

Flor de maracujá~

 

Passion fruit em inglês, Fruit de la Passion em francês e Passionsfrucht em alemão.

 

A palavra Maracujá  tem origem na língua Índia Tupi do Brasil, e significa alimento em forma de cuia, os índios conheciam este fruto e as suas características desde tempo imemoriais. Os frades Jesuítas foram responsáveis pela sua catalogação e pelas referências às suas propriedades calmantes

 

Reza a historia que as primeiras sementes chegaram a Roma no inicio do século 17, sendo atribuído ao papa PAULO V a origem do nome Fruto da paixão, que dá o nome á Flor, Flor da Paixão.

 

Desengane-se quem atribui significados mais românticos a este nome, a sua origem tem a ver com a religião, os frades associaram a cor e a forma da flor à paixão de cristo.... eu gosto de maracujá, não sou muito apreciador dos maracujás que por cá se cultivam, aqueles pequeninos e roxos, gostava dos maracujás que eu conheci na Venezuela, enormes, amarelos e muito ácidos, que davam um sumo natural ácido, quase picante e verdadeiramente delicioso.... e na altura não fazia ideia que aqueles frutos vinham..... da Flor da Paixão

 

Fonte: O que é o jantar? {#emotions_dlg.blink} (Acreditem ou não, fui ao google, coloquei Flor da paixão,  e o primeiro resultado é mesmo para o meu outro eu {#emotions_dlg.drool})

 

Estas foram colhidas num  dia nublado de verão num quintal de Porto Covo.

Alentejo

Junho de 2010

Jorge Soares

Porto Covo ... ou, havia um pessegueiro na ilha

A Ilha do Pessegueiro

 

Roendo uma laranja na falésia
Olhando o mundo azul à minha frente,
Ouvindo um rouxinol nas redondezas,
No calmo improviso do poente

Em baixo fogos trémulos nas tendas
Ao largo as águas brilham como prata
E a brisa vai contando velhas lendas
De portos e baías de piratas

Havia um pessegueiro na ilha
Plantado por um Vizir de Odemira
Que dizem que por amor se matou novo
Aqui, no lugar de Porto Côvo

A lua já desceu sobre esta paz
E reina sobre todo este luzeiro
Á volta toda a vida se compraz
Enquanto um sargo assa no brazeiro

Ao longe a cidadela de um navio
Acende-se no mar como um desejo
Por trás de mim o bafo do destino
Devolve-me à lembrança do Alentejo

Havia um pessegueiro na ilha
Plantado por um Vizir de Odemira
Que dizem que por amor se matou novo
Aqui, no lugar de Porto Côvo

Roendo uma laranja na falésia
Olhando à minha frente o azul escuro
Podia ser um peixe na maré
Nadando sem passado nem futuro

Havia um pessegueiro na ilha
Plantado por um Vizir de Odemira
Que dizem que por amor se matou novo
Aqui, no lugar de Porto Côvo

 

Rui Veloso

 

Ouvir no Youtube

 

Adoro esta música, é mesmo uma das que mais gosto do Rui Veloso, curiosamente já tinha passado ali ao lado muitas vezes, a estrada para Vila Nova de Milfontes e para o Algarve passa ali mesmo ao lado, nunca tinha parado... pena, porque é um lugar muito bonito, a praia é óptima e come-se muito bem.

 

Ilha do Pessegueiro, Porto Covo,

Alentejo

Maio de 2010

Direitos de Autor
Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem a prévia permissão do autor. Todas as fotografias estão protegidas pelo Decreto-Lei n.º 63/85, de 14 de Março.
Uma vez que a maioria das fotografias foram feitas em locais públicos mas sem autorização dos intervenientes, se por qualquer motivo não desejarem que sejam divulgadas neste blog entrem em contacto comigo e serão retiradas de imediato.

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Quem cá vem